Pecuária

Poder de compra do pecuarista em relação ao milho em MT

06/03/2014

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontou queda no poder de compra do pecuarista no Estado, em relação ao milho, fundamental para dietas de confinamento de bovinos. O preço médio da saca cresceu 49,67% de outubro do ano passado para fevereiro deste ano, com preços nominais variando de R$ 10,28 para R$ 15,39. No mesmo período, a arroba do boi gordo registrou uma variação positiva de 4,62%, saltando de R$ 95,08 para R$ 99,48. Segundo o instituto, “a partir desta análise, verifica-se que o poder de compra do bovinocultor de corte diminuiu significativamente, pois em outubro/13 era possível adquirir 9,25 sacas/arroba, já em fevereiro/2014 foi possível comprar 6,47 sacas/arroba. Como é perceptível, a tendência de alta do milho é forte, porém ainda existe milho disponível no mercado, o que pode gerar oportunidades de negócios aos preços atuais”. Conforme Só Notícias/Agronotícias já informou, as plantadeiras atingiram 74,7% dos pouco mais de 3 milhões de hectares projetados para esta safra de milho em Mato Grosso. A constatação é do Instituto que apontou não ter sido concretizada pelos produtores a expectativa da semeadura dentro da janela ideal, já que no último ciclo, foi registrado o maior plantio até final de fevereiro. “Apesar de as chuvas terem dado uma trégua na última semana, favorecendo assim a entrada das máquinas em campo, a semeadura desta temporada está com atraso de 13,1 p.p., ou 830 mil hectares em relação ao ano passado. Aproximadamente 821 mil hectares de milho serão cultivados em Mato Grosso fora da “janela” considerada ideal pelos produtores, deixando para trás as condições climáticas mais favoráveis para o seu desenvolvimento”, destacou Imea. Fonte: Só Notícias/Agronotícias
Autor: Weverton Correa