Pesca

Peixes com “Gosto de Barro”

Euclydes Ruy de Almeida Dias 1
Lídia Sumile Maruyama 2

Um dos problemas com as carpas é o “gosto de barro” que às vezes apresentam. Mas não só as carpas têm esse problema. Os curimbatás são considerados peixes de 2ª categoria por apresentarem normalmente esse gosto.
Sabe-se ainda que até as trutas que vivem em água super limpa podem ser desvalorizadas por apresentarem também essa característica. O “gosto de barro” é devido à presença de um óleo denominado “geosmina” (TAMASSIA & ZAMPARETTI, 1987), produzido por algumas algas azuis e verdes, decompostas por bactérias da Ordem Actinomycetalis (BRANCO, 1986). Tivemos numa ocasião, um atendimento a um criador de carpas onde a água mostrava-se semi-gelatinosa. O exame da água mostrou uma grande quantidade de alga azul Mycrocistis aeruginosa.
Em 14/08/99, houve uma solicitação para verificar o “gosto de barro” em tilápias. O exame da água mostrou a presença de algas principalmente de Peridinium sp, seguidas de Scenedesmus sp, Euglena sp e Rhizosolenia sp.
O Peridinium sp pode ser responsável pelo gosto de barro ao ser destruído por actinomycetalis, problema também observado por técnicos da SABESP.
Para resolver esse problema são utilizadas as seguintes técnicas:

a) Depuração do peixe em água corrente antes do consumo
b) Controlar a ocorrência nos viveiros das produtoras de geosmina (algas decompostas por Actionomycetalis).
c) Industrialização do pescado.

Referências Bibliográficas:
BRANCO, S. M. 1986 Hidrobiologia Aplicada à Engenharia Sanitária. Convênio CETESB Ascetesb – São Paulo – SP, 257 p.
TAMASSIA, S. T. J. & ZAMPARETTI, A. S. 1987 Justificativas e Sugestões para a Criação de Carpas em Santa Catarina. Empresa Catarinense de Pesquisa Agropecuária S.A. – Florianópolis – SC, 10p.

(1) Pesquisador Científico – Instituo de Pesca – CPA – SAA – SP
(2)Biologia/ Estagiária – Instituto de Pesca – CPA – SAA – SP

Fonte: http://www.abrappesq.com.br/materia10.htm