Pesca

Desenvolvendo infusórios

A fim de reproduzir com êxito peixes ovíparos, o aquarista depende dos infusórios para alimentar a ninhada no seu primeiro período de vida. Também deve estar seguro de que sua cultura de infusórios produz mais do que apenas água suja.

O método que a seguir indicamos garantirá o sucesso, desde que acompanhado de algum entusiasmo e visão científica.
Para começar, a propagação dos infusórios deve ser tão levada a sério, como a dos próprios peixes. Eles são muito sensíveis a respeito da dureza da água e do pH e necessitam de alimento e luz.

0 alimento ou meio de cultura a ser usado são as folhas de alface. Isso é preparado tomando-se um frasco de bom tamanho com a capacidade mínima de meio litro d’água. Pode-se usar um vidro médio ou grande de maionese. Tudo depende da necessidade de cada aquarista. Coloque algumas folhas de alface no fundo do frasco de modo a cobri-lo bem. Encha o recipiente até três quartos de água fervendo. Isso partirá a estrutura do alface e causará a sua decomposição. O frasco deve descansar por vinte e quatro horas. Esse período, ficou demonstrado, é o tempo suficiente para permitir que se estabeleça a quantidade necessária de bactérias. Um período maior produz bactérias em demasia. Isso parece tornar abarrotados os infusórios quando são introduzidos na cultura.

A seguir, há o passo mais importante: o de introduzir os infusórios na cultura. Eles são animais unicelulares (Protozoários) que podem medir 0,3 milímetros de tamanho. Seria interessante poder contar com um microscópio barato para observá-los. Uma ampliação de cinqüenta vezes é suficiente para o que se deseja.
A fonte de infusórios será a água de um aquário com pelo menos três meses de montagem e tendo bastante plantas. Por certo conterá protozoários. Tomando alguma água desse aquário encha quase até a borda o frasco de cultura. Se houver alguma “alga de cabelo” no aquário, ele é geralmente o abrigo de infusórios. Tire um pedacinho e acrescente à cultura. Plantas aquáticas como as Anacharis e Cabomba sempre abrigam infusórios. É válido também tirar um pedaço pequeno das mesmas e colocar no frasco.

Não é necessário introduzir muitos protozoários na cultura. Alguns bastam. O frasco deve ser tampado para protegê-lo da poeira.
Está pronta a cultura de infusórios, devendo ser colocada onde haja um pouco de luz. Em poucos dias, a cultura terá um leve cheiro de podre, o que é normal. No sexto dia, a água começará a clarear. Em maior quantidade de água esse período é maior. A boa cultura de infusórios tende a ficar menos turva à medida em que os protozoários aumentam de número. É o resultado das bactérias que turvam a água serem consumidas como alimento pelos protozoários.

A água clareará completamente e no décimo dia haverá abundância de infusórios. Para manter a cultura por tempo indefinido, deve ser alimentada cada dez dias. Isso é feito escaldando-se uma folha de alface num segundo frasco, deixando-a envelhecer por 24 horas, como foi feito inicialmente. Derrame alguma quantidade da água desse frasco na cultura já pronta, apenas o bastante para turvar ligeiramente a água e acrescente um pedacinho de alface.
Esse método de propagação de infusórios tem a vantagem de produzir em grande número sem muito trabalho e com fácil manutenção da cultura matriz. A outra grande vantagem é o fato de não turvar a água dos aquários por não introduzir bactérias e sim apenas infusórios.

Jornal de Aquariologia (Nicholas C. Liberto)

Fonte: Revista Aquarista Junior nr.22

Fonte: http://www.peixesornamentais.info/index.php?option=com_content&task=view&id=623&Itemid=41