Pecuária

PB: usina de leite em pó processará leite de cabra

Na última quarta-feira (2), os produtores do Cariri paraibano forneceram 15 mil litros à empresa CCA Laticínios para que sejam transformados em leite em pó. A informação foi do secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcante Junior.

Pasteurizados pela Cooperativa Agropecuária do Cariri (Coapecal), os 15 mil litros de leite do rebanho paraibano foram levados para uma usina de leite em pó, na cidade de Garanhuns (PE).

A Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (Sedap) firmou uma parceria com a CCA Laticínios, produtora de leite de cabra, de Nova Friburgo (RJ). Essa produtora é detentora das marcas Caprilat e Scabra. Ela vinha importando o leite de cabra da Europa.

Há mais de 10 anos o Estado vem negociando com os empresários para comprar o leite direto da Paraíba.

Neste primeiro momento, 1.500 produtores estão envolvidos no fornecimento do produto in natura. A meta da Sedap é a inclusão direta de 6 mil caprinocultores familiares. A caprinocultura leiteira se concentra no estado da Paraíba, que tem a maior produção do Brasil, com quase 600 mil litros/mês, de acordo com informações do coordenador do Programa do Leite da Paraíba, o veterinário Aldomário Rodrigues.

“A Paraíba tem hoje uma produção de leite de cabra em torno de 20 mil litros por dia, o que representa uma escala de produção capaz de atrair empresários em participar da caprinocultura paraibana”, comemorou. O rebanho nacional de cabras é de 13 milhões de cabeças. Deste total, 91% se encontram no Nordeste, onde a criação é extensiva e de corte.

O Governo do Estado está negociando com o Fida (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agropecuário) verbas para várias atividades como o artesanato, minérios e produção de frutas tropicais, além da caprinocultura, que renderá um financiamento da fábrica de processamento do leite em pó em território paraibano.

Avaliada em quase R$ 8 milhões, a usina será instalada com apoio financeiro do Fida, conforme o coordenador do Programa do Leite, Aldomário Rodrigues. “Projetamos uma indústria com uma produção diária de 100 mil litros. A fábrica permitiria que o produto do Cariri atendesse ao mercado nordestino com um diferencial”, explicou.

Dos 32 municípios do Cariri, o projeto da caprinovinocultura abrange 22, entre eles, Monteiro, Sumé, Cabaceiras, Riacho de Santo Antônio, Livramento, Amparo, São Sebastião do Umbuzeiro, São João do Tigre, Zabelê, Camalaú, Congo e outros.

 

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=32098