Parceria viabilizará estudos sobre benefícios da produção integrada na pecuária bovina

03/03/2015

Para incentivar pesquisas sobre os sistemas integrados de produção na pecuária bovina, a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) firmou uma parceria com a Embrapa Agrossilvipastoril. O convênio de cooperação foi assinado na última sexta-feira (27), durante o Dia de Campo, realizado em Sinop, a 419 km de Cuiabá.

A Embrapa realizará estudos a fim de avaliar os aspectos agronômicos, valor nutritivo de forragem (capim Marandu) e desempenho animal, mensurando a produtividade da atividade pecuária de corte em sistemas de produção exclusivo e integrados. Para o presidente da Acrimat, José João Bernardes, a parceria possibilitará a troca de informações sobre as formas mais rentáveis e vantajosas de direcionar a pecuária mato-grossense.

Conforme ele, a intenção é promover uma atividade sustentável. “As áreas de agricultura e pecuária cresceram nos últimos anos. Para evitar a competitividade das culturas, a implementação de práticas que promovam o uso racional da terra é a integração lavoura-pecuária-floresta”.

O chefe da Embrapa Agrossilvipastoril, João Flávio Veloso da Silva, acrescenta que a parceria com a Acrimat é fundamental para elevar os estudos na área. “Precisamos conhecer os benefícios do uso de forrageiras na alimentação dos animais em específicos sistemas de integração de culturas”.

O pesquisador da Embrapa, responsável pela condução das pesquisas, Bruno Pedreira, explica os sistemas de iLPF se apresentam como uma opção de produção sustentável para o estado. Conforme ele, a previsão é que os primeiros resultados das pesquisas sejam conhecidos em 12 meses. Esses sistemas de integração se caracterizam pela rotação de cultivos entre grãos e pastagens, associados com árvores; essa alternância aumenta, sobretudo, a produtividade nessas áreas.

O experimento será conduzido em área experimental da Embrapa, em Sinop. Três sistemas de produção serão avaliados: Sistema de produção pecuário exclusivo; Sistema de integração pecuária-floresta; e Sistema de integração lavoura-pecuária-floresta. Assim, será possível avaliar o impacto e o potencial do componente pecuária nos sistemas de produção avaliados. O projeto é parte de um grande experimento de longo prazo (16 anos), e que tem como foco a avaliação de indicadores de sustentabilidade em dez sistemas de produção.

Fonte: Agrolink