Trigo

Paraná encaminha ao Mapa propostas para estimular a produção nacional

29/10/2013

 

 

Propostas de políticas públicas e de ações que deem suporte aos agricultores e estimulem o aumento da produção nacional de trigo e demais cereais de inverno foram encaminhadas ao ministro da Agricultura, Antônio Andrade, na última sexta-feira (25/10), pela Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab).

No documento, o secretário Norberto Ortigara esclarece que as sugestões foram elaboradas em parceria com a Federação da Agricultura do Paraná (Faep) e Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar). O mesmo material também foi enviado ao secretário nacional de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, e ao diretor do departamento de Gestão e Risco Rural da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, Vicente Diniz.

Propostas – “As propostas consideram os aspectos de garantia de abastecimento, de manutenção da capacidade produtiva nas regiões aptas à produção dessas culturas, favorecendo a proteção dos solos, otimizando recursos, reduzindo custos com o plantio da temporada subsequente e do acréscimo de valor por unidade de área cultivada”, afirma Ortigara no ofício enviado ao ministro. O secretário lembra ainda que, tradicionalmente, o Paraná tem se posicionado como maior produtor de trigo do Brasil. No entanto, a produção do cereal no Estado vem decaindo desde 2010. Na safra passada, os triticultores paranaenses cultivaram a menor área desde os anos 80, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento. Já nessa safra, as geadas comprometeram 41% da produção paranaense do cereal, que deve chegar a 1,7 milhões de toneladas.

Desafios – De acordo com a Seab, Ocepar e Faep, entre os principais desafios para a ampliação da produção nacional de trigo estão os elevados custos de produção, com preços médios recebidos pelos produtores abaixo do valor mínimo estabelecido na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) e abaixo do custo de produção.

Dependência – No documento enviado ao Mapa, as entidade ressaltam ainda a importância do país reduzir a dependência das importações. Atualmente, o Brasil produz pouco mais de 5 milhões de toneladas de trigo contra uma demanda de 11 milhões de toneladas. Ainda de acordo com elas, é necessário que as políticas de governo para o trigo e cultura de inverno sejam definidas e anunciadas com antecedência para que os produtores possam planejar os investimentos na cultura.

Itens – As propostas encaminhadas pelo Paraná estão divididas em 10 itens: apoio à comercialização e preço mínimo; salvaguardas às importações de trigo; qualidade; vigilância sanitária; legislação de cabotagem; financiamento de custeio; seguro de produção; tributação de trigo e derivados; apoio às atividades de suporte à produção de trigo e propostas relacionadas às culturas de aveia, cevada, triticale e centeio – safra 2014.

Clique aqui e confira na íntegra o documento encaminhado ao Mapa

 

 

Fonte: Portal Paraná Cooperativo