Notícias

Organização das Cooperativas Brasileiras realiza AGO 2015

Lideranças do Sistema OCB reuniram-se hoje, em Brasília, na Assembleia Geral Ordinária 2015, para dentre outras coisas validar a prestação de contas de 2014

Brasília (24/3) – A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) promoveu, hoje, sua Assembleia Geral Ordinária, reunindo em Brasília dirigentes de suas 27 unidades estaduais. O grupo de líderes cooperativistas se encontrou para deliberar sobre o relatório de atividades e o balanço patrimonial referentes ao exercício 2014, além do relatório de Auditoria Independente e do parecer do Conselho Fiscal. Também fez parte da Ordem do Dia, o Plano de Trabalho e Orçamento Anual para 2015.

Os cinco diretores titulares da OCB – Edivaldo Del Grande (Região Sudeste), João Nicédio Alves Nogueira (Região Nordeste), Petrucio Pereira de Magalhães Junior (Região Norte), Celso Ramos Regis (Região Centro-Oeste) e João Paulo Koslovski (Região Sul) – compuseram a mesa, juntamente com os representantes dos conselhos Evaristo Câmara Machado Netto (Ética) e Sílvio de Carvalho (Fiscal).

Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a AGO é uma oportunidade fundamental de apresentar o desempenho e os números do setor. “Fico entusiasmado em receber nossas unidades para esse momento de prestação de contas e deliberações. Acredito que, só assim, por meio de um processo democrático, transparente e intercooperativo, poderemos avançar cada vez mais”, considerou Márcio Freitas. Ele fez questão, ainda, de agradecer às equipes das unidades estaduais pelo empenho em sempre cumprir com a missão de auxiliar no desenvolvimento das atividades do movimento cooperativista.

A reunião foi secretariada pelo superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, que apresentou os principais números de 2014. Dentre eles, destaca-se a quantidade de cooperados e de empregos gerados, ambos na última década. O primeiro cresceu 72% saltando dos 6,7 milhões (em 2004) para 11,5 milhões, em 2014. Em relação ao número de postos de trabalho, em 2004, as cooperativas contrataram 199 mil profissionais. No ano passado esse número subiu 70%, atingindo 338 mil empregos diretos.

O superintendente também fez questão de reforçar que o esforço e a organização do movimento cooperativista para assegurar a representação do setor no Congresso Nacional renderam bons frutos, sendo importante para a permanência de 74% dos parlamentares da Frencoop que buscaram a reeleição.

LEGISLATIVO – Além disso, no Poder Legislativo, os grandes números são os seguintes: das 520 proposições sobre o cooperativismo, 52 foram priorizadas pela Agenda Legislativa e das 15 medidas provisórias acompanhadas ao longo do ano, sete foram aprovadas com emendas da OCB. Com isso, os principais resultados foram a aprovação da Lei Geral das Cooperativas nas Comissões de Agricultura e Reforma Agrária e de Assuntos Econômicos do Senado; e ainda, a aprovação do ICPC-14, que assegura as regras de classificação contábil do capital social das cooperativas, sendo inserido na Medida Provisória nº 656/2014.

EXECUTIVO – No âmbito do Poder Executivo, a OCB participou de 148 audiências em ministérios, agências de regulação e bancos públicos, com vistas à defesa do cooperativismo. Com Resultado, foi obtida, junto ao Banco Central, a autorização para que as cooperativas de crédito passassem a emitir Letras Financeiras e participassem de debates sobre a auditoria cooperativa. Além disso, foram assinados acordos de cooperação com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social e Ministério de Minas e Energia.

JUDICIÁRIO – Nos tribunais superiores, as equipes da OCB têm acompanhado de perto as ações relativas ao adequado tratamento tributário do Ato Cooperativo, aos impactos do novo código florestal, à contribuição previdenciária do Tomador de Serviços de Cooperativas e à equiparação de empregados de cooperativas de crédito a bancários.

INTERNACIONAL – O superintendente apresentou, ainda, informações sobre o número de 31 delegados de 11 países que estiveram no Sistema OCB, para conhecer a estrutura de representação e o cooperativismo brasileiro. Contudo, este número sobe para 97, quando a visitas ocorrem em todo o território nacional. Além disso, 15 cooperativas tiveram seus produtos expostos em feiras internacionais, 13 comitivas brasileiras visitaram seis países em busca do aprimoramento da gestão e 80 lideranças, técnicos do Sistema além de cooperados participaram das delegações organizadas pela Casa do Cooperativismo.

UNANIMIDADE – “Todos os itens da pauta da Assembleia Geral Ordinária 2015 foram aprovados, o que mostra o quanto a proposta de gestão estratégica do Sistema OCB está seguindo o rumo certo: estar próximo das unidades estaduais para, juntos, trabalharmos pelo desenvolvimento das cooperativas brasileiras, que são a nossa razão de existir enquanto unidades estaduais e nacional”, declarou Renato Nobile.

SISTÊMICO – De acordo com o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, que falou em nome da Diretoria, o ano de 2014 foi muito bom para o cooperativismo. “Se analisarmos os fatos envolvendo o contexto dos diferentes ramos, tivemos um período muito favorável. Entretanto, é necessário atuar com o objetivo de reforçar a atuação sistêmica: “qualificação profissional e fortalecimento das unidades estaduais e discutir, no âmbito dos seminários regionais, a intercooperação entre os estados e, assim, falarmos sistemicamente. Por fim, gostaria de ressaltar o avanço que o Plano de Comunicação do Sistema OCB pode trazer ao nosso movimento, mas isso só será possível com o envolvimento de todos os presidentes aqui presentes”.

SERIEDADE – “A AGO foi além de uma simples prestação de contas: foi o momento adequado para a apresentação das realizações da OCB, em prol do desenvolvimento do cooperativismo nacional. Estou convicto de que o momento atual reflete a segurança que as unidades estaduais têm demonstrado no apoio às ações sistêmicas em prol do desenvolvimento do cooperativismo nacional. Agora sim: estamos parecendo um sistema, com ações únicas e com uma identidade legítima.” João Nicédio Alves Nogueira – Diretor da OCB e presidente do Sistema OCB/CE

TRANSPARÊNCIA – “Foi uma AGO tranquila realizada dentro dos preceitos democráticos pregados por nós. Foi um exemplo de transparência de gestão e de clareza de intenções. As informações apresentadas foram muito bem trabalhadas a fim de que percebêssemos o avanço do setor em 2014. O aumento da profissionalização e os bons resultados alcançados, ano após ano, demonstram a evolução do cooperativismo brasileiro.” Edivaldo Del Grande – Diretor da OCB e Presidente do Sistema Ocesp

RESULTADO – “Na minha opinião essa foi a AGO mais transparente e que trouxe mais resultados positivos ao cooperativismo brasileiro. Os gestores mostraram todos os compromissos assumidos e os resultados efetivos em decorrência disso. Todo o trabalho transcorreu em um ambiente muito harmônico. E em momentos difíceis como o enfrentado, atualmente, pela economia do país, o cooperativismo será, sem dúvida, um mecanismo para a superação de dificuldades.” Petrucio Magalhães Junior – Diretor da OCB e Presidente do Sistema OCB/AM

ESTADOS – “A AGO foi muito positiva. Mais uma vez a OCB fez questão de creditar os excelentes resultados obtidos em 2014 ao trabalho das unidades estaduais e seus técnicos. É importante que tenhamos em mente que todos nós formamos o Sistema OCB. Cumprimos os objetivos do nosso planejamento graças aos esforços dos estados. Nós do cooperativismo, não obstante a crise política do país, poderemos atravessa-la com mais facilidade, considerando esse movimento de pessoas que somos.” Celso Ramos Régis – Diretor da OCB e Presidente do Sistema OCB/MS

MODELO – “Os resultados apresentados hoje, na AGO, demonstram a preocupação do Sistema OCB com a austeridade e com a recuperação da receita. Não tenho dúvida de que o modelo de governança trouxe grandes avanços. O Conselho Fiscal ressalta e valoriza as boas práticas de gestão, observadas pela OCB, em 2014. Sem dúvida esse é um modelo de governança que deve permear todo o setor.” Sílvio de Carvalho, membro do Conselho Fiscal

REPRESENTAÇÃO – “Esta AGO merece destaque pela presença imponente da maioria dos presidentes. Todos tiveram uma participação ativa, contribuindo de maneira significativa na proposição de sugestões importantes para o cooperativismo. Além disso, cabe ressaltar a qualidade da metodologia utilizada na apresentação de todos os trabalhos realizados em 2014. Com total clareza, ficou demonstrado o crescimento real do Sistema OCB em todos os ramos de atividade econômica que atuamos.” Evaristo Câmara Machado Netto, membro do Conselho de Ética.

ERA DIGITAL – Logo após a AGO, o grupo de lideranças do Sistema OCB, assistiu à uma palestra ministrada pela escritora, consultora nas áreas de marketing digital, inovação e educação, Martha Gabriel. Ela ministrou a palestra Era da Inovação, na qual foram expostas as oportunidades de se estar nas plataformas sociais da internet e, também, os riscos trazidos pela ausência das organizações ou empresas desses ambientes virtuais.

Autora de cinco livros, inclusive o best seller “Marketing na Era Digital“, CEO da Martha Gabriel Consulting, e também coordenadora e professora do curso de MBA em Marketing da HSM Educação, Martha explicou que se o Sistema OCB não unificar a mensagem a fim de ter a mesma linha de divulgação e imagem estará empreendendo esforços inúteis.

“As pessoas precisam perceber que as unidades estaduais são Sistema OCB, assim como unidade nacional, faz parte dos estados. O desalinhamento atual pode, inclusive, colocar em risco e até destruir a imagem total do sistema”, alerta. Para ela, é fundamental unificar a linguagem, o visual e a gestão de marca entre todas as unidades estaduais, senão o Sistema OCB corre o sério de risco de perder a força que já tem.

Fonte: OCB