Trigo

Onda de frio deve ser benéfica para o trigo

18/07/2017

Apesar da intensa onda de frio que tomou conta do Rio Grande do Sul neste final de semana, a chuva foi pouca e não se verificou geada – o que pode ocorrer ainda esta semana. Na avaliação da Consultoria Trigo & Farinhas, essa primeira onda de frio deve ser benéfica para o trigo brasileiro, que precisa de água.

“Se gear agora, será remédio para o trigo, pois em nenhuma área as plantas atingiram perfilhamento, com todo o trigo gaúcho ainda em desenvolvimento vegetativo ou menos que isto. De modo que, muito ao contrário, as geadas serão remédio para o trigo, porque ajudam a combater as pragas e fortalecem as plantinhas”, aponta o analista sênior da T&F, Luiz Carlos Pacheco.

De acordo com ele, o que falta mesmo no Rio Grande do Sul é chuva, pois as que ocorreram foram insuficientes. Em Júlio de Castilhos, Tupanciretã, Joia, Santiago caíram apenas seis milímetros (mm); São Luiz, Santa Rosa, e arredores 10mm; Ijuí e arredores 15mm; Campo Novo, Palmeira das Missões, Santo Augusto 20/25 mm.

“Precisa vir mais. Em uma semana precisa chover de novo. Os agricultores estão aproveitando para colocar ureia (nitrogênio) nos campos. Como não há previsão de um grande volume de chuvas, também não há preocupação de lavagem desta ureia”, diz Pacheco.

Ele informa que no Paraná a situação é igual: “O que falta mesmo é água. Na região de Apucarana, no Norte do estado, o clima volta a preocupar a agricultura, que já está a aproximadamente um mês sem precipitações e as lavouras de trigo e aveia já sentem a falta de umidade, podendo prejudicar o potencial produtivo. De acordo com o Simepar, estão previstas quedas bruscas nas temperaturas, com risco de geadas para os próximos dias. O trigo e aveia estão em torno de 40% em desenvolvimento vegetativo, e 60% nas fases de florescimento e frutificação que são suscetíveis a geadas e a preocupação no desenvolvimento que já existe devido ao período de estiagem, aumenta agora com as previsões de geadas (apenas ao sul desta região)”.

Na região de Cascavel, no Oeste do estado, após trinta dias de tempo bom, as previsões indicam baixas temperaturas, com possibilidade de chuvas. Porém estas deverão ser insuficientes para a necessidade que estamos enfrentando. As culturas de trigo e aveia são as mais prejudicadas.

Na região de Pato Branco, no Sudoeste do estado, conforme previsto aconteceram garoas finas com temperaturas baixas na Região desde a madrugada. Em Palmas a temperatura entre se manteve entre 4 a 5° C. Precipitações ainda de baixo volume, mas benéficas para a germinação e desenvolvimento das culturas de inverno que já estavam sentindo a falta de umidade.

“Para todo o estado a Meteorologia prevê quedas maiores nas temperaturas a partir da tarde para a Região, frio deve intensificar-se. Geadas fracas a moderadas devem ser registradas nos setores de fronteira com o Paraguai e de divisa com Mato Grosso do Sul”, conclui a Consultoria Trigo & Farinhas.

Fonte: Agrolink