Pecuária

O que esperar da cadeia produtiva da carne bovina?

Escrito poradmin

“Monitoramento do Ambiente Externo da Embrapa: uma proposta de sistematização de metodologia e instrumentos”, esse é o título de um projeto liderado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento, que reúne diversas Unidades da Empresa e visa melhorar a interação mais direta da Embrapa com a sociedade civil.

Essa lacuna, segundo os especialistas da Empresa, muitas vezes é uma barreira natural que impede a Embrapa de conhecer as tendências ou sugestões que tenham apelo técnico-científico capazes de possibilitar a realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em qualquer área de atuação da Empresa.

Para o projeto-piloto, a cadeia produtiva da carne bovina foi selecionada como primeira ação. No próximo dia 17, quinta-feira, especialistas dos segmentos econômicos da cadeia debaterão na Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS) tendências, oportunidades e dificuldades que a mesma apresenta, tanto para a pesquisa, quanto para a sociedade civil, em seus vários aspectos, como industrialização, comercialização, transporte, capacitação e consumo final do produto. Desta forma, a Unidade terá em mãos as demandas mais significativas que PD&I ainda não prospectaram e isso contribuirá significativamente para subsidiar o V Plano Diretor da Unidade. (PDU).

No painel serão abordados e debatidos problemas ou dificuldades que obtiveram maior número de frequência como respostas ao questionário aplicado on-line pelo projeto, durante os meses de julho a setembro deste ano: pastagens/melhoramento vegetal, nutrição animal, melhoramento animal, ambiente, sanidade animal, gestão da propriedade/socioeconomia, qualidade da carne, transferência de tecnologias, couro e peles e mercado.

Dalízia Aguiar (DRT/MS 28/03/14)

Jornalista

Supervisão – Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)

Embrapa Gado de Corte (http://www.cnpgc.embrapa.br)

dalizia@cnpgc.embrapa.br – (67) 3368-2144.

Fonte: http://www.agromundo.com.br/?p=23225