Curiosidades

O arroz pode sim compor a alimentação do diabético!

10/02/2017

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), ao longo dos seus 76 anos, tem como valor primordial a credibilidade, sendo reconhecido por sua importância no desenvolvimento e sustentabilidade do agronegócio gaúcho. A geração e difusão de tecnologias para a cadeia produtiva do arroz, bem como a colaboração no desenvolvimento de políticas para o setor, são as principais diretrizes da instituição. Além disso, sabendo do grande potencial nutritivo que o arroz apresenta, considerou necessário alertar a sociedade sobre a importância do consumo desse alimento e, desde 2015, defende o Provarroz – Programa de Valorização do Arroz, que apresenta os principais benefícios desse cereal: branco, parboilizado e integral, em especial.

A partir de citações recentemente divulgadas em redes sociais que apontam o arroz como alimento não adequado a diabéticos, vimos por meio deste apresentar, com base em estudos e artigos científicos, que este cereal possui moderado índice glicêmico entre outras qualidades e sempre que consumido em quantidades orientadas não agrava a condição do diabético.

O arroz é um dos cereais mais produzidos e consumidos no mundo, caracterizando-se como o principal alimento de mais da metade da popula­ção mundial. Somente na Ásia, de 60 a 70% do consumo calórico de mais de 2 bilhões de pessoas é proveniente do arroz e seus subprodutos (FAO, 2004).

A Nutrição é uma ciência e, como tal, está em constante movimento. Porém, o que sempre foi um consenso na área da saúde é que todo excesso, bem como toda carência, é maléfico. Daí a importância no controle e orientação nas doenças crônicas não transmissíveis, como o Diabetes Mellitus, por exemplo. Leia mais em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/doencas-cronicas-nao-transmissiveis

A ingestão dietética de carboidratos para pessoas com diabetes segue recomendações semelhantes às definidas para a população em geral, respeitando concentrações entre 45 e 60% do requerimento energético. Embora o carboidrato seja um importante preditor da glicemia pós-prandial, os alimentos que contêm esse nutriente são também fontes importantes de energia, fibra, vitaminas e minerais, contribuindo ainda com a palatabilidade da dieta.

Lembramos, por fim, que quando falamos em arroz estamos falando, inclusive, das variedades ainda pouco consumidas pela população em geral. Porém, salientamos os benefícios do arroz que chega mais facilmente ao consumidor (integral, parboilizado e polido).

Fonte: Irga