Trigo

Novas alternativas para a cultura do trigo

02/09/2016

Dia de campo reuniu profissionais do mercado moageiro, melhoramento genético e produtores rurais em Cascavel, no Paraná

Organizado em conjunto pela Cooperativa Agroindustrial Coopavel e Biotrigo Genética, apoiados pela empresa Spraytec, nesta quarta-feira (31), foi promovido dia de campo com foco na cultura do trigo. O evento aconteceu na localidade de Espigão Azul, em Cascavel/PR, na propriedade da família Dalgalo, reunindo agricultores, mercado moageiro e melhoramento genético. A região apresenta alto potencial para a cultura do trigo por mesclar áreas de menor e maior altitude. Em alguns locais prevalece o milho segunda safra e em outros o trigo, durante o inverno. Segundo o gerente Regional Norte da Biotrigo, Fernando Michel Wagner, esse foi o primeiro evento da empresa em parceria exclusiva com a Coopavel.

A abertura foi realizada pelo gerente de Produção de Sementes da cooperativa, Hélio Sebold. Para ele, o evento foi uma grande oportunidade técnica e comercial para todos os segmentos envolvidos. “Juntamos no mesmo objetivo os agricultores, a pesquisa, a assistência técnica, a produção de sementes e a indústria. O diferencial do evento foi a tecnologia disponibilizada ao público, com qualidade de informação e conteúdo”, explica. O Projeto de Trigo Coopavel/ Biotrigo trabalha com o objetivo de desenvolver um programa que atenda a necessidade do agricultor em produtividade e lucro, gere produto com qualidade industrial para atender a indústria moageira e gere resultado positivo para a Cooperativa.

“Foi um evento diferenciado, superou a expectativa, estamos muito satisfeitos”. Em seguida, o gerente Moinho de trigo da Coopavel, Roberto Carlos Painelli falou da importância do momento em que a Biotrigo faz o meio de campo entre o interesse do moinho e o do agricultor, destacando o diálogo do melhoramento genético e da indústria, sem deixar de atender ao cooperado. “Foi muito boa a participação dos três pilares da cadeia do trigo: agricultores, área técnica e indústria. Além das demonstrações técnicas, os cooperados tiveram a oportunidade de conhecer as necessidades das matérias primas de qualidade que a indústria necessita a fim de atender uma fatia maior de mercado”. Para Fernando, a tarde foi muito proveitosa. “Mesmo com o tempo fechado e frio, podemos fazer um belo evento, ouvindo o agricultor e a assistência técnica, com todo o apoio da diretoria da Coopavel. O dia de campo é o momento ideal para trazermos para a discussão os diferentes interesses dos elos que formam a cadeia tritícola”, afirma.

A primeira parte do evento foi voltada para o corpo técnico da Coopavel, que reúne cerca de 60 agrônomos. Em seguida, foi a vez dos cooperados conhecerem mais sobre a cultura do trigo. As estações incluíram assuntos que foram desde as cultivares da Biotrigo até informações sobre fitopatologia, manejo de nitrogênio entre outros temas.  A primeira estação tinha como foco as cultivares TBIO já lançadas, focando especialmente os dois últimos lançamentos da Biotrigo: TBIO Toruk e TBIO Sossego, incluindo os pré-lançamentos, filhos de TBIO Toruk, os quais devem chegar ao mercado na sequência. O evento também contou com uma estação voltada aos trigos especiais. Nesta, o destaque ficou por conta da cultivar TBIO Noble, a qual possui características que despertam o interesse do setor de moagem, por possuir característica de trigo Melhorador/Branqueador, sendo um coringa dentro do moinho.

“Pelo fato da cooperativa possuir um moinho, temos um alinhamento muito grande em trigos de nicho, trigos específicos, sendo o TBIO Noble importante ferramenta para que o produto possa acessar mercados que melhor remuneram”, explica Wagner.

Outra estação tinha como foco a fitopatologia, abordando doenças, causas, condições e o que a Biotrigo está fazendo em nível de melhoramento para facilitar o manejo frente os problemas de difícil controle da cultura. Além disso, os produtores rurais também puderam conhecer mais sobre manejo de Nitrogênio, em uma estação específica sobre o assunto, entendendo a importância que este nutriente tem para as gramíneas, especialmente para a cultura do trigo, além de entender o melhor posicionamento para a sua região e a reação de cada cultivar.

Nesta localidade, a Biotrigo genética possui uma área de pesquisa, assim como em outras 17 localidades do estado do Paraná, para que os dados de cada cultivar e linhagens estudadas levem em consideração as peculiaridades dos diferentes ambientes e anos.

Foto:
Dia de campo foi realizado em uma das 17 áreas de pesquisa da Biotrigo Genética do Paraná.

Crédito: Divulgação/Biotrigo

Fonte: Agrolink