Pecuária

Nova tecnologia promete avanços na produção de leite no Cariri

A UTFPR, através do Campus Pato Branco, é uma das instituições participantes no projeto “Empreendedores Agrícolas de Leite com fim à Produção e Comercialização de Queijos no sudoeste do Paraná”. Produtores agropecuários do Brasil e da Itália vêm trabalhando, desde 2008, no projeto que tem como objetivo a troca de experiências entre os dois países e a estruturação de um consórcio.

 

A cooperação foi possível, pelo fato da região de Belluno, na Itália, possuir vasto conhecimento e técnicas sobre alimentação animal e transformação do leite e, também, pela afinidade cultural e matéria-prima abundante encontrada no Sudoeste do Paraná.

 

Desse modo, os aspectos compartilhados permitirão aprimorar o processo de produção de leite, bem como de diferentes tipos de queijos, que representem e promovam o desenvolvimento da região.

 

A participação da UTFPR será na viabilidade do trabalho de professores com atividade de extensão universitária e pesquisa em áreas como: melhoramento de pastagem, alimentação animal, tecnologia de produção de queijos e controle de qualidade.

 

Outra atuação importante será a participação do Laboratório de Qualidade Agroindustrial (LAQUA) do Campus, que realizará análises de controle de qualidade do leite e do queijo. O projeto também favorecerá a participação de alunos em estágios e trabalhos de conclusão de curso.

 

Intercâmbio de conhecimento

 

Atendendo à proposta do projeto, de 20 de fevereiro a 05 de março deste ano, por intermédio da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), a professora do Campus, Simone Beux, o engenheiro agrônomo Christophe de Lannoy, representando a União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (UNICAFES), de Francisco Beltrão; e o produtor de  queijo de Coronel  Vivida, Claudinei Bodanese, viajaram à Itália. Na Província di Belluno, puderam conhecer e levantar, in loco, informações recebidas sobre a fabricação do queijo e a organização dos queijeiros estrangeiros em forma de cooperativas e/ou consórcio.

 

A professora Simone Beux comenta que a viagem oportunizou a ela “conhecer o sistema de qualidade envolvido desde a ordenha até a transformação do leite em queijo, que faz com que obtenham um leite de altíssima qualidade”. Disse ainda que “em função da característica do leite, alguns produtores possuem liberação para comercializá-lo cru, diretamente ao consumidor e, produzir queijos com características microbiológicas e sensórias excelentes”.

 

A equipe conheceu, também, o sistema de cooperativas praticado lá, que tem sido importante para fortalecer o segmento e garantir a produção de leite e derivados de qualidade.

 

Retornando ao Brasil, foram reunidos todos os envolvidos no Projeto para repassar as informações obtidas e, em conjunto, decidir sobre o modelo de organização mais adequado à realidade local para a produção e comercialização dos queijos de qualidade fabricados na região sudoeste do Paraná. “Estamos elaborando um plano de trabalho para as atividades que serão realizadas neste ano. Estamos aguardando a possibilidade de uma segunda fase com aprovação da Província di Belluno, com a liberação de recursos financeiros e apoio técnico, pois acreditamos muito no potencial da região no segmento lácteo”, conclui a professora.

 

Fonte: http://www.cearaagora.com.br/noticias/economia/nova-tecnologia-promete-avancos-na-producao-de-leite-no-cariri