Pecuária

Na Dinapec produtor vai conhecer novos resultados na produção de novilho precoce

01/03/2016

A cada ano a equipe de pesquisadores da Embrapa apresenta novidades na área de produção de novilho precoce e este ano não será diferente, quem garante é o pesquisador Gilberto Romeiro Menezes, da área de melhoramento animal, um dos especialistas que apresentará, por exemplo, resultados de desempenho animal de precocidade na produção de carne de nove grupos genéticos envolvendo raças como: nelore, angus x nelore, caracu x nelore, canchim, braford x caracu. Os cientistas sabem que a genética influencia tanto na produção quanto na qualidade da carne e conhecer os melhores esquemas de cruzamento para produzir o novilho precoce, pensando em aumento de eficiência e sustentabilidade é o caminho.

No estande o produtor vai saber os resultados dos cruzamentos na produção de novilhos precoces, estratégias de suplementação, recomendações, técnicas e tantas outras informações.

As pesquisas com o novilho precoce fazem parte de um estudo contínuo, hoje com muitas respostas. Segundo Gilberto Romeiro, as ferramentas tecnológicas de produção devem ser usadas adequadamente e ajustadas às condições do produtor. “A lógica do novilho precoce é diminuir o ciclo de produção, produzir carne de melhor qualidade com eficiência e lucratividade promovendo a melhoria do processo”.  Os novos resultados de pesquisas em andamento serão mostrados e discutidos com os visitantes da Dinapec, incluindo os do projeto Maxprecoce – de integração de recursos genéticos e nutricionais.

A ideia dos técnicos do estande é mostrar a cada ano novos resultados nessa área e como a lógica do novilho é produzir carne de melhor qualidade nada melhor que um especialista para falar de qualidade da carne do novilho precoce. O estande também vai oferecer esta apresentação com o pesquisador Gelson Feijó. E para incrementar ainda mais as informações acerca da produção do novilho precoce, além de pesquisadores da Embrapa Gado de Corte como Rodrigo Gomes dentre outros, contamos com profissionais da Embrapa Pantanal e da Embrapa Rondônia que estarão no estande para mostrar algumas experiências.

Com relação à suplementação e desmama precoce da pecuária pantaneira, pesquisadores do Pantanal e da Embrapa Gado de Corte vão falar de biotecnias reprodutivas para a produção do novilho precoce. Será mostrado o uso da inseminação artificial em tempo fixo – a chamada IATF, com diferentes manejos e protocolos utilizados e qualidade do sêmen, além de transferência de embriões. Os técnicos contarão experiências feitas em propriedades do Cerrado e do Pantanal.

A técnica da inseminação artificial muito utilizada por facilitar o manejo do rebanho tem sido trabalhada de forma diferente pela Embrapa Rondônia que chama de técnica de Inseminação Artificial por Tempo Fixo em Blocos.  Segundo as pesquisas de lá, as vacas inseminadas por esse método têm obtido entre 10 e 20 pontos percentuais a mais de prenhez do que vacas inseminadas pela metodologia de IATF convencional, alcançando índices de prenhez de 70%. Ainda, segundo os pesquisadores daquela Unidade, é uma técnica que aproveita o máximo potencial reprodutivo de fêmeas bovinas submetidas a um protocolo de guandu. A metodologia foi desenvolvida para vacas zebuínas de corte, com cria ao pé e será avaliada para outras raças.

A Dinapec começa na quarta-feira da semana que vem, dia 9 de março e vai até o dia 11/3, sexta-feira, das 8 às 16h30. Para participar dos três roteiros do Novilho Precoce e outros, bem como das oficinas, os interessados devem preencher uma ficha de inscrição pela internet no endereço:http://credenciamento.ms.sebrae.com.br/pre_credenciamento/index/3c4278c9a93e5b8c7f9eb9ead5f4b0d5

Fonte: Agrolink