Soja

Muda a tabela de adubação da soja

O aparecimento de variedades de soja mais produtivas e o aumento da área plantada no Paraná estão exigindo mais dos solos paranaenses. Por isso, a Embrapa Soja vai propor alterações na Tabela de Recomendações de Adubação, que vigorou por 15 anos.

As mudanças vão ser discutidas com representantes de instituições de pesquisa, universidades e cooperativas na XXI Reunião de Soja da Região Central do Brasil, que acontece de 31 de agosto a 2 de setembro, em Dourados (MS). “Nosso objetivo principal é ampliar a produtividade da soja no Paraná”,
defende o pesquisador Aureo Lantmann, da Embrapa Soja.

Quando a primeira tabela foi elaborada, em 1984, a produtividade média de soja no Paraná era de 2.050kg/ha e hoje é de 2.750 Kg/ha. Isso significa que hoje existe maior extração de fósforo do solo, por exemplo. “É por isso que estamos indicando maior reposição P2O5 “, diz.

Na antiga tabela, a indicação para os solos com quantidade baixa de fósforo era de 50 a 60 quilos de P2O5 por hectare. A recomendação agora é para aplicação de 90 a 100 Kg/ha. “É quase o dobro do que indicávamos”, diz o pesquisador. Nos solos com teor médio de fósforo a recomendação passou de 40 a 50 Kg de P2O5 por hectare para 70 e 80 Kg/ha. Os solos com teor alto de fósforo que recebiam de 30 a 40 kg/ha tem indicação para receber de 50 a 60Kg/ha.

Outra alteração é na quantidade de aplicação de enxofre (S), que antes não era considerada importante para o cultivo da soja. Lantmann diz que a soja exige 15 kg de enxofre para cada mil quilos de grãos.
“Como hoje queremos produtividade acima de 3 mil kg/ha é importante acrescentar enxofre via adubação, através superfosfato simples, que tem 12 % de S. Em casos especiais, a aplicação do S pode ser feita através do gesso (sulfato de cálcio), que tem 18% do S.” Aí sim estaremos atendendo a demanda da soja por enxofre”.

Lantmann diz que a adubação representa 17.57% do custo de produção de soja. “Mesmo sendo o ítem mais caro do seu custo é o único investimento para ampliar o retorno em produtividade. A aplicação de herbicidas e fungicidas é barata, mas não aumenta a produtividade, só mantém os níveis de produção”

As variedades desenvolvidas pela Embrapa Soja tem potencial para atingir 5 mil kilos por hectare, mas a quantidade de adubo indicada até hoje era para suprir as necessidades de variedades com potencial de 2mil kg por hectares. ” Com a mudança na tabela queremos aumentar a produtividade das lavouras paranaenses”, diz o pesquisador.

A Embrapa Soja propõe também que a nova Tabela de Recomedações para Adubação não mantenha recomendações para solos de uso recente. “Esse ítem atendia a uma demanda antiga dos solos do Paraná.
Como todas as áreas do estado já foram cultivadas não há motivo para mantermos as recomendações”, diz.
“As sugestões só chegam à assistência técnica depois de aprovadas na reunião”.

Mais informações:
Jornalista Lebna Landgraf
Tel.: (43) 371- 6061

Fonte:  http://www.embrapa.br/imprensa/noticias/1999/agosto/bn.2004-11-25.3276225474/