Defensivos

Monsanto apresenta Programa Agricultores Acompanhados, com foco em proteção de cultivos

01/04/2014

Para levar ao agricultor as boas práticas agronômicas e o correto manejo de plantas daninhas, a Monsanto lançou o Sistema Roundup Ready Plus, que será um dos destaques da empresa na Tecnoshow Comigo, entre os dias 07 e 11 de abril, em Rio Verde (GO).

Trata-se de um sistema de manejo deplantas daninhas que combina a utilização de herbicidas, associado às boas práticas agrícolas, contribuindo para que o agricultor tenha um melhor controle de plantas invasoras.

Por meio do Programa de Agricultores Acompanhados, a Monsanto acompanha e dá suporte a produtores de todo o país. São realizadas visitas técnicas durante o ciclo da cultura para identificar o sistema produtivo utilizado e recomendar o manejo de plantas daninhas adequado para a realidade da área, por meio da adoção de boas práticas, associadas à utilização de herbicidas, levando-se em consideração a região do produtor, o sistema agronômico utilizado e a planta daninha alvo, buscando o melhor custo-beneficio.

Durante a Tecnoshow Comigo, aplicativos desenvolvidos pela Monsanto farão a simulação de custo e análise de risco para os produtores, com resultados que indicam a importância da recomendação tecnicamente correta. O Sistema Roundup Ready Plus considera as culturas de verão, de inverno ou as coberturas utilizadas no sistema de rotação, o conhecimento do ciclo e da biologia das plantas daninhas alvo, as tecnologias disponíveis, as práticas culturais e as opções de herbicidas mais sustentáveis, atuando de maneira preventiva e/ou corretiva no controle de populações resistentes.

“O manejo de plantas daninhas precisa ser encarado de forma ampla, considerando as culturas e coberturas que entrarão no sistema agrícola do produtor. O objetivo do Sistema RRPlus é oferecer a melhor recomendação técnica agronômica, buscando sempre a longevidade da tecnologia de nossas sementes e de todos os benefícios que ela oferece”, afirma Georgia Palermo, gerente de Estratégia de Proteção de Cultivos da Monsanto.

Ações contribuem na redução do risco de seleção de populações resistentes
O manejo de plantas daninhas em uma propriedade deve ser de longo prazo, por meio de um sistema integrado de produção que envolva métodos culturais, químicos, e não químicos. Portanto, é necessário trabalhar com as boas praticas agrícolas, como rotação de cultura e de princípios ativos, visando evitar a seleção de populações  resistentes.

As principais recomendações são:
• Evitar deixar áreas em pousio: 70% a 80% das sementes de plantas daninhas que infestarão a próxima cultura de verão são produzidas durante o pousio de outono.
•  Implantar culturas de inverno que permitam utilizar herbicidas com diferentes modos de ação.
•  Implantar culturas de cobertura visando a produção de palhada. Solo com boa cobertura vegetal não deixa espaço para as plantas daninhas.
•  Caso a área fique em pousio, realizar manejo de pós-colheita, evitando a produção de sementes das plantas daninhas presentes na área.
•  Rotacionar culturas e herbicidas, principalmente em áreas onde há risco de seleção  ou já exista a presença de algum biótipo resistente.
•  Utilizar sempre a dose recomendada no rótulo dos herbicidas.
•  Para culturas RR, realizar corretamente dessecação pré-plantio e iniciar a cultura no limpo.
•  Seguir as recomendações de bula e as boas práticas agrícolas.

Indicações para áreas com infestações de biótipos resistentes a herbicidas.

Por meio do Sistema Roundup Ready Plus, a Monsanto recomenda aos produtores:

Utilização correta dos herbicidas
– Trabalhar com as doses recomendadas em bula;
– Evitar o uso contínuo de produtos com o mesmo mecanismo de ação;
– Rotação de herbicidas com mecanismos de ação diferenciados;

Utilização de rotação de culturas

Monitoramento de plantas daninhas

– Monitoramento após aplicação dos herbicidas

– Monitorar manchas de plantas daninhas com padrão diferente após as aplicações;

– Eliminar focos iniciais de resistência, evitando produção de sementes;

– Utilizar as boas práticas agrícolas, químicas e não químicas com o objetivo de aumentar a capacidade competitiva da cultura, por meio de um rápido estabelecimento e desenvolvimento;

Utilizar equipamentos e maquinários limpos, realizar o controle de bordaduras e utilizar sementes certificadas, evitando a disseminação de plantas daninhas.

Fonte: Agrolink