Trigo

Monitoramento em tempo real para as lavouras de trigo

16/09/2015

Em sua segunda fase, o projeto “De primeira, Sem Dúvida”, desenvolvido pela Bayer CropScience em parceria com o Instituto Phytus, amplia monitoramento para as lavouras de trigo.

O projeto pioneiro “De Primeira, Sem Dúvida”, da Bayer CropScience em parceria com o Instituto Phytus, em sua primeira fase acompanhou áreas de soja onde o crescimento da cultura e a evolução da ferrugem podiam ser monitorados em tempo real, por meio de câmeras de vídeo. Agora, em sua segunda fase, o projeto foi ampliado para áreas de cultivo de trigo no Rio Grande do Sul, já na safra 2015. O Estado é um dos maiores produtores do cereal no País e o monitoramento em tempo real está sendo realizado em Itaara e em Passo Fundo, por meio de câmeras em lavouras, com o acompanhamento direto de pesquisadores do Instituto Phytus e da Universidade de Passo Fundo (UPF).

A cultura do trigo exige ainda mais cuidado, uma vez que está mais suscetível a adversidades com as condições climáticas e proliferação de doenças. “Assim como realizamos com os sojicultores, o objetivo é possibilitar que o triticultor consiga atingir as melhores práticas de manejo e, consequentemente, alcançar melhores níveis de produtividade’’, explica o gerente de Estratégia de Marketing FOX® da Bayer CropScience, Everson Zin.

Em Itaara (RS), a estrutura do “De Primeira, Sem Dúvida” está instalado na Estação Experimental do Instituto Phytus, com supervisão do engenheiro agrônomo Ricardo Balardin. “O projeto é de extrema importância para o agricultor, pois com observações em tempo real é possível que ele veja a relevância do correto manejo fúngico da lavoura do trigo”, explicou. Balardin lembra, ainda, que o objetivo principal do projeto é a indicação de um posicionamento do controle de doenças no cultivo, provando a importância fundamental da primeira aplicação no plano de controle químico das doenças na cultura do trigo.

Como funciona? 

Everson Zin explica que cada área de trigo está dividida em dois talhões iguais. No alto de uma estrutura fixada em frente às duas áreas há uma câmera captando todo o perímetro do campo, abaixo há duas outras direcionadas para cada talhão. Enquanto uma das partes da lavoura está recebendo o tratamento adequado com o FOX® para o manejo de doenças, a outra serve de testemunha, onde a aplicação é feita com atraso. “Os produtores rurais podem acompanhar tudo, em tempo real, e em qualquer lugar do mundo, o avanço da lavoura e as projeções de manejo de doenças sob a ótica técnica dos pesquisadores envolvidos. Cada campo fica sob a responsabilidade de um pesquisador, que faz reporte diário das atividades, com apontamentos pertinentes ao correto manejo do fungicida”, ressalta Zin.

Para acompanhar toda movimentação do projeto acesse o site http://deprimeirasemduvida.com.br/mapa.

Fonte: Agrolink