Gerenciamento de Produção

Moagem de cana atinge 40,1 mi de toneladas no Centro-Sul na segunda quinzena de maio

Publicado em 09/06/2015

O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil atingiu 40,1 milhões de toneladas na segunda quinzena de maio, valor 5,53% superior ao montante registrado no mesmo período de 2014 (38 milhões de toneladas).

No acumulado desde o início da safra 2015/2016 até 1º de junho, entretanto, a moagem ainda está aquém daquela observada na última safra: 114,28 milhões de toneladas nesse ano, contra 117,31 milhões de toneladas em 2014.

Até o final de maio, 262 unidades produtoras encontravam-se em operação no Centro-Sul, número idêntico ao verificado em igual período do ano anterior. A expectativa é de que 20 unidades ainda iniciem a safra 2015/2016 nas próximas quinzenas.

Produtividade agrícola e qualidade da matéria-prima

Dados preliminares do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) indicam que a produtividade agrícola da lavoura colhida até maio de 2015 alcançou 82,7 toneladas de cana-de-açúcar por hectare. Este rendimento é superior aos 79,2 registrados pela região Centro-Sul no mesmo período de 2014.

Em relação à qualidade da matéria-prima colhida, a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) atingiu 124,98 kg por tonelada cana-de-açúcar nos últimos 15 dias de maio, contra 127,78 kg verificados na mesma quinzena do ano passado.

No acumulado desde o início da safra 2015/2016 até 1º de junho, o teor de ATR totalizou 116,57 kg por tonelada, 1,84% abaixo dos 118,76 kg verificados em igual período de 2014.

Produção de açúcar e etanol

Seguindo a tendência das quinzenas anteriores, as usinas priorizaram a produção de etanol em detrimento da fabricação de açúcar na segunda metade de maio.

Do montante total de cana processada no período, 41,17% direcionou-se à produção de açúcar. No acumulado desde o início da atual safra até 1º de junho, este percentual totalizou 37,67%, contra 40,95% apurados até a mesma data de 2014.

O diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, ressalta que “a proporção de cana utilizada para a fabricação de açúcar nos últimos quinze dias de maio deste ano é o menor valor registrado para o período desde a safra 2008/2009”. Os números observados até o momento corroboram com a nossa expectativa de uma safra mais alcooleira, acrescentou Rodrigues.

Com isso, a quantidade produzida de açúcar nos últimos 15 dias de maio atingiu 1,97 milhão de toneladas, queda de 2,85% no comparativo com igual quinzena de 2014.

Em contrapartida, o volume fabricado de etanol aumentou 8,53% no mesmo período, atingindo 1,74 bilhão de litros. Nesse contexto, chama a atenção o avanço de 29,1% na produção de etanol hidratado: 1,13 bilhão de litros produzidos na segunda quinzena de maio, contra 877,13 milhões de litros em igual período de 2014.

No acumulado desde o início da safra 2015/2016 até 1º de junho, a fabricação de açúcar alcançou 4,78 milhões de toneladas, recuo de 12,02% sobre o ciclo agrícola anterior. No caso do etanol, a produção acumulada cresceu 1,70%, somando 4,91 bilhões de litros – com destaque para o crescimento da produção de etanol hidratado, que atingiu 20,32% com 3,48 bilhões de litros fabricados.

Vendas de etanol

O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somou 2,26 bilhões de litros em maio, aumento de 6,77% em relação ao mesmo mês de 2014.

Este crescimento decorre especialmente da ampliação das vendas de etanol hidratado ao mercado doméstico, que atingiram 1,46 bilhão de litros – forte alta de 33,02% em relação aos 1,10 bilhão de litros comercializados em maio do último ano. Na segunda metade do mês, o volume comercializado totalizou 732,04 milhões de litros, ante 575,96 milhões de litros computados na mesma quinzena da safra 2014/2015.

“O volume comercializado de hidratado segue em alta este ano, mantendo um patamar de quase 1,50 bilhão de litros mensais e preços atrativos em boa parte do mercado consumidor do Centro-Sul”, afirmou o executivo da UNICA.

Em relação ao volume vendido de etanol anidro no mercado interno, este somou 730,13 milhões de litros em maio. Já as exportações alcançaram apenas 73,76 milhões de litros, queda de mais de 50% sobre o valor registrado no mesmo mês de 2014 (166,66 milhões de litros).

Fonte: Unica