Mineralização da torta de mamona, esterco bovino e bagaço de cana estimada pela respiração microbiana

Quando um material rico em C-orgânico é adicionado ao solo, é utilizado pelos organismos como fonte de carbono e energia, ocorrendo um aumento na atividade biológica com posterior liberação de CO2. Objetivou-se com o presente trabalho estudar a mineralização da torta de mamona através da técnica de medição da respiração microbiana e compará-la com dois adubos orgânicos comuns: esterco bovino e bagaço de cana. Os três materiais foram incubados em quatro repetições por 33 dias, na presença de NaOH , fazendo-se leituras da respiração a cada 4 dias através de titulação com HCl. Foi detectada grande atividade microbiana no solo em que se adicionou torta de mamona, um indicativo de que a decomposição desse material é muito rápida e que seus nutrientes são rapidamente disponibilizados para as plantas logo após sua adição ao solo com o adubo orgânico. Nos 33 dias de incubação, detectou-se a respiração de 35mg de CO2/kg de solo, enquanto no esterco o valor foi de 5mg e no bagaço de cana apenas 2,4mg.

Fonte: biodieselbr.com