Milho

Milho: Em Chicago, mercado dá continuidade ao movimento positivo e sobe pela 5ª sessão consecutiva

Publicado em 05/06/2015

 

As cotações do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) operam do lado positivo da tabela na manhã desta sexta-feira (5) e tenta consolidar a 5ª alta consecutiva. As principais posições do cereal exibiam ganhos entre 1,00 e 1,25 pontos, por volta das 8h09 (horário de Brasília). O vencimento julho/15 era cotado a US$ 3,64 por bushel.

Nesse momento, os participantes do mercado estão atentos às previsões de chuvas para o Meio-Oeste dos EUA nos próximos  dias, conforme dados das agências internacionais. Nos próximos 6 a 10 dias, as previsões climáticas apontam para mais precipitações nas regiões produtoras no país.

Frente a esse cenário, os investidores já especulam sobre possíveis inundações que poderiam atingir as lavouras do cereal. Caso essa previsão se confirme, os analistas destacam que não haveria tempo hábil para fazer o replantio dessas áreas.

Confira como fechou o mercado nesta quinta-feira:

Milho: Previsão de chuvas nos EUA dá suporte e mercado consolida 4ª sessão consecutiva de alta

Na Bolsa de Chicago (CBOT), os principais contratos do milho encerraram a sessão desta quinta-feira (4) em campo positivo. As cotações subiram pelo 4º pregão consecutivo e exibiram ganhos entre 4,25 e 4,50 pontos. O vencimento julho/15 retomou o patamar dos US$ 3,60 por bushel e encerrou o dia a US$ 3,63 por bushel.

As previsões de chuvas para o Meio-Oeste dos EUA também deram sustentação aos preços do cereal, segundo informou o site internacional Farm Futures. Os participantes do mercado estão atentos ao clima, já que é possível que haja inundações em algumas localidades do cinturão produtor de milho.

Caso essa previsão se confirme, os analistas destacam que não haveria tempo hábil para fazer o replantio dessas áreas. Paralelamente, a perspectiva é que as precipitações permaneçam nos próximos 6 a 10 dias. Até o último domingo (31), cerca de 95% da área já havia sido semeada e 74% das plantações exibiam boas ou excelentes condições, conforme dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Além disso, a queda do dólar ao longo desta quinta-feira também contribuiu para o tom positivo nos negócios, assim como, os ganhos observados nos futuros da soja e do trigo. Já as vendas para exportação da safra velha somaram 464,9 mil toneladas, até a semana encerrada no dia 28 de maio. As informações foram reportadas pelo USDA.

O volume representa um recuo de 29% frente ao divulgado na semana passada, de 654,6 mil toneladas, e uma queda de 31% na média das últimas quatro semanas. Assim como na soja, o Japão foi o principal destino do milho norte-americano.

Para a safra 2015/16, o USDA trouxe um cancelamento de 54,8 mil toneladas de milho. Na semana anterior, o cancelamento foi de 6,7 mil toneladas.

Fonte: Notícias Agrícolas