Milho

Milho começa a cair no Paraná

19/04/2018

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, estão sendo feitos negócios no milho a R$ 37,00-37,50/saca no Oeste do Paraná – grande região produtora e consumidora de milho do estado. Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, isso significa uma queda de 7,5% nos preços em relação à semana passada.

Na região de Ponta Grossa os preços CIF fábrica continuam ao redor de RF$ 40,00/saca. Mercado físico do milho vazio em Campinas (SP). Compradores indicam negócios a R$ 40,00/sc, mas possuem pouco ímpeto para adquirir. “Na outra ponta, produtores também estão retraídos, aguardando por ofertas melhores. O impasse gera preocupação nos Silos e Intermediários, que acabam ficando descasados (pressionados tanto na compra, quanto na venda)”, afirma Pacheco.

Segundo ele, porém, as expectativas para os próximos dias estão em cima do clima, demanda interna do setor de proteína animal e também de possíveis novos Leilões da CONAB: “As boas chuvas para o Brasil Central trouxeram alivio para o plantio da safra de inverno. No Sul e Sudestes, o período mais seco e frio favoreceu a entrada das máquinas para finalização das colheitas de verão”.

A colheita está entre 75-85% da área plantada no estado de São Paulo. Segunda (16), a CONAB anunciou seu 5º leilão de frete em 2018, negociando a remoção de 8,7 mil ton de milho do Mato Grosso para abastecer suas unidades do Ceará e em Goiás. A expectativa é de que ela volte a anunciar medidas semelhantes ao final desta semana.

No cenário externo, os embargos da UE para com a BRF devem ser anunciados entre nesta quinta-feira ou sexta-feira (19.04). Caso se mantenha, o fato deverá impactar o setor de proteína animal e também de grãos, dada importância da UE (em valor) para os embarques nacionais.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse ontem que o Brasil vai entrar com uma ação na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a União Europeia (UE), por causa do embargo às importações de carne de frango da BRF e de outros frigoríficos brasileiros. Além disso, o ministro admitiu, pela primeira vez, que essa questão poderá afetar as negociações para um acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia.

Fonte: Agrolink