Milho

Milho: Com foco no clima nos EUA e no mercado financeiro, mercado mantém o tom negativo na CBOT

Publicado em 07/07/2015

As cotações futuras do milho mantêm o tom negativo ao longo da sessão desta terça-feira (7). Por volta das 13h51 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam quedas de mais de 4 pontos. O vencimento julho/15 era cotado a US$ 4,14 por bushel, depois de ter iniciado o dia a US$ 4,13 por bushel.

De acordo com o economista da Granoeste Corretora de Cereais, Camilo Motter, o mercado recua frente à previsão de melhora no clima no Meio-Oeste dos Estados Unidos. Ainda nesta segunda-feira (6), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou novo boletim de acompanhamento de safras.

Apesar das recentes chuvas no Meio-Oeste, o órgão revisou para cima o índice de lavouras em boas ou excelentes condições, de 68% para 69% até o último domingo. No mesmo período do ano passado, o número era de 75%. As lavouras em condição regular caíram de 24% para 23%, já as plantações em condições ruins ou muito ruins foram mantidas em 8%.

O departamento também informou que 12% das plantações do cereal estão na fase de espigamento, frente aos 14% registrados no mesmo período de 2014. A média dos últimos cinco anos é de 18%.

“O mercado esperava alguma queda no índice de lavouras em boas ou excelentes condições devido às chuvas recentes. Outro fator que também influencia os preços hoje é o dólar mais forte e a queda de ativos financeiros de maneira geral”, explica o economista.

Segundo dados da Investing.com, o dólar norte-americano era cotado a 97,22, com ganho de 0,82% durante essa terça-feira. O dólar ampliou os ganhos frente às principais moedas, depois a divulgação do relatório da balança comercial dos EUA. Ao longo desta terça-feira, o dólar chegou a 97,33, com 0,93% de ganho, nível mais alto desde 2 de junho.

Paralelamente, os investidores já começam a se preparar para o novo boletim de oferta e demanda do USDA. O relatório será divulgado na próxima sexta-feira.

Clima nos EUA

Conforme dados reportados pelo site internacional Farm Futures, uma grande frente se move do Texas para Michigan por todo o Corn Belt e os mapas climáticos ainda indicam chuvas mais fortes nos próximos sete dias sobre o estado do Missouri até o leste da região produtora norte-americana. De acordo com informações do NOAA – Serviço Oficial de Meteorologia do país – nos próximos 6 a 10 e 8 a 14 dias, o tempo permanece úmido, com campos encharcados nas regiões leste e norte.

Em contrapartida, nas Planícies do Sul, o tempo deverá permanecer mais seco, ainda segundo dados do NOAA. Ainda na visão do economista, o comportamento do clima no país deverá continuar influenciado o andamento dos negócios no mercado internacional.

Fonte: Notícias Agrícolas