Mercosul terá menos trigo esse ano

22/01/2018

Com a definição da safra Argentina, o Mercosul deverá ter menos trigo nesta temporada na comparação com a do ano passado, informa a Consultoria Trigo & Farinhas. Os argentinos estão comemorando a produção de uma safra recorde de 17 milhões de toneladas (MT) na safra 2017/2018. No entanto, eles serão os únicos no bloco de países da América do Sul que terá, na sua totalidade, 10,19% a menos de disponibilidade de trigo na safra atual.

O Brasil colheu apenas 4,2 MT (dos quais apenas 3,2MT para moagem), o que representou 37,5% menos cereal de inverno em relação às 6,72 MT colhidas no ano passado. O Paraguai produzirá 660 mil toneladas, o que significa 44,4% a menos do que os 1,19 MT da safra anterior, enquanto o Uruguai vai colher algo como 600 mil toneladas. No total o Mercosul vai totalizar 22,5 milhões de toneladas, contra as 25,0 milhões de toneladas produzidas na safra passada.

“A rigor, esta situação é altista para os preços, a médio e longo prazos, uma vez que os moinhos do Mercosul que estão fora da Argentina deverão se abastecer com o trigo deste país. Com a demanda elevada, é possível que os preços do trigo argentino voltem a subir nos próximos meses, assim como os preços internos no Brasil, por conta da logística de entrega dos trigos importados, nos moinhos do interior”, aponta o analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco.

De acordo com a Consultoria, os preços do trigo argentino já chegam ao redor de R$ 770,00 (com 12% de proteína) e R$ 740 (com 11,5%) CIF moinhos do RS e do PR (contra os atuais R$ 600 no RS e R$ 680 no PR) e R$ 760,00 nos moinhos de São Paulo. No Nordeste, chegam ao redor de R$ 745,00 em Fortaleza e estados vizinhos.

Fonte: Agrolink