Raças

Melhoramento Genético e os Cruzamentos em Bovino de Corte

CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS RAÇAS BOVINAS DE CORTE

Ao se decidir por cruzamentos, após analisados os itens mencionados em 2., é importante conhecer o que se deseja como produto final e, qual ou quais raças possuem as características desejáveis para que possam se complementar.

Quanto às características gerais, as raças bovinas de corte podem ser divididas em quatro grandes grupos: 1) raças britânicas, 2) raças européias de grande porte ou raças continentais, 3) raças zebuínas e, 4) raças européias adaptadas a clima tropical.

Raças britânicas – representantes deste grupo, quando em ambientes propícios, expressam boa taxa de sobrevivência, apresentam taxas reprodutivas e de crescimento suficientes para produzir carcaças de ótima qualidade. Como desvantagens, pode-se mencionar que elas são detentoras de partos distócicos, muita gordura em altos pesos, e a taxa de crescimento é menor que aquela de raças européias continentais. Conseqüentemente, apresentam taxa de conversão alimentar menor, assim como menor peso adulto do que estas últimas. As vacas apresentam cerca de 500 a 600 kg de peso adulto, e os machos, de 800 a 900 kg.

Racas européias de grande porte – este grupo caracteriza-se pelo alto potencial de crescimento, boa conversão alimentar, altos pesos de abate e carcaça com pouca gordura. Entretanto, apresentam partos distócicos e peso adulto elevado; como resultado, são animais de grande exigência de energia para mantença. As vacas apresentam, em média, peso adulto de 700 a 800 kg, enquanto que para os machos, esta média está em torno de 1.000 a 1.200 kg.

Raças zebuínas – os representantes deste grupo comparativa-mente às raças européias, britânicas ou continentais, apresentam baixas taxas de crescimento, baixos índices reprodutivos, e carcaça com pouca aceitabilidade, principalmente por produzirem carne dura. Por outro lado, apresentam excelente taxa de sobrevivência, boa habilidade materna, e são tolerantes a parasitos e a altas temperaturas. As vacas adultas têm, em média, de 350 a 450 kg e os machos de 600 a 700 kg.

Raças européias adaptadas a clima tropical – neste grupo encontram-se todas as raças chamadas “crioulas” da América do Sul, existindo ainda, representantes em outros continentes. Pelo processo de seleção natural pelo qual passaram por séculos, constituem-se hoje, em animais que associam algumas características comuns a raças européias e outras, principalmente aquelas relacionadas à adaptabilidade de raças zebuínas. As vacas adultas apresentam média de peso de, aproxima-damente, 350 a 450 kg e os machos de 600 a 700 kg.

Fonte: http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/doc/doc63/caracter.html