Máquinas e Implementos Agrícolas

Massey Ferguson: enfardadoras trazem soluções para geração de biomassa e alimentação animal

29/04/2014

Maior produtor brasileiro de etanol de cana-de-açúcar, o estado de São Paulo possui um enorme potencial de conversão de resíduos – bagaço, palha e vinhaça – em energia elétrica, gás e vapor. Dono da legislação ambiental mais avançada do mundo, com meta de reduzir as emissões em 20% até 2020, o Estado possui uma matriz energética limpa, baseada na hidroeletricidade e na biomassa. O fim das queimadas na colheita de cana, acordado entre o Governo Estadual e a indústria sucroalcooleira, é outro ponto favorável já que aumenta a disponibilidade da palha, rica em poder calorífico e, portanto, adequada ao aproveitamento na geração de energia. Estima-se que sobrem anualmente nos canaviais entre 12 a 15 toneladas de palhiço e palha por hectare.

Nesse sentido, os visitantes da Agrishow 2014 poderão conhecer a linha completa Massey Ferguson de equipamentos para enfardamento de forragem, feno e restos de cultura, como palha de cana-de-açúcar e de milho. A família MF 2170 é produzida em Hesston, nos Estados Unidos, e incorpora as tecnologias globais patenteadas pela AGCO. Suas máquinas são capazes de recolher com eficiência essas biomassas. Com a tecnologia mais moderna disponível no mercado em enfardamento, proporcionam uma alimentação homogênea, gerando fardos com densidade mais consistente. Outro diferencial é o seu exclusivo sistema de nó duplo que faz dois nós, um que termina o fardo anterior e outro que inicia o próximo fardo em uma única operação. A família  MF 2170  conta ainda com um sistema de ventilação para a limpeza do mecanismo de nós que garante menor desgaste e menos paradas para manutenção.

“A palha recolhida é jogada para uma câmara de pré-carga, onde fatias do fardo são enviadas para a câmara de compressão da máquina. Um fardo de 2,20 m de comprimento tem entre 30 a 32 fatias. No monitor, o operador regula a pressão exercida e o tamanho do fardo”, explica o gerente de marketing do produto da Massey Ferguson Roberto Ruppenthal. Ela tem seis amarradores e carrega até 30 rolos de fio de polipropileno, 15 em cada lado da máquina. Como cada rolo tem 975 metros, ela entra em campo com quase 30 mil metros de fio. Os fardos gigantes têm altura de 0,9 m, largura de 1,2 m e comprimento variável de 1 a 2,7 metros.

Além de biomassa, as enfardadoras Massey Ferguson, que associam eficiência econômica e preservação dos recursos naturais e da biodiversidade, também são fundamentais para os pecuaristas que anteciparam o confinamento, por conta da escassez de animais prontos engordados no pasto nesse primeiro trimestre.

Nesse sentido, dentre as máquinas em destaque na feira está a enfardadora MF 1837 de fardos retangulares. Nas dimensões 3×4, a máquina foi configurada para oferecer alta produtividade em tonelada/hora e segurança operacional, sendo direcionada às áreas de pastagens e forragens, com fluxo de alimentação direta e sistema de recolhimento diferenciado, ela possui recolhedor de perfil baixo e câmaras que prensam e distribuem de forma igual o material nas fatias.

Na mesma linha, a MF 1745, enfardadora de fardos cilíndricos, é um equipamento versátil, que trabalha com a proporção 4×5, utilizado principalmente para silagem, biomassa e outros tipos de capins. Possui câmara de fardo variável que permite a produção de diferentes tamanhos, de 762 a 1.524 mm de diâmetro. Para isso, rolos e cintas de borracha, ao mesmo tempo em que compactam e enrolam o material, se ajustam para acomodar a quantidade recebida. Para finalizar, o equipamento disponibiliza ainda sistema de amarração automático com acionamento elétrico.

“Esse tipo de operação de enfardamento de capim, para posterior alimentação do rebanho, é uma prática difundida em algumas regiões do Brasil, porém está em franco crescimento, principalmente em períodos que os grãos são mais valorizados, como atualmente. A fenação para trato animal é uma das maneiras do produtor manter a reserva de alimento para o rebanho por meio do armazenamento desses fardos”, explica Ruppenthal. Segundo ele, as enfardadoras Massey Ferguson possuem a melhor relação custo-benefício, pois apresentam alta capacidade de enfardamento, aliada a baixo custo operacional, oferecendo ao produtor as condições ideais para viabilizar a atividade e acrescentar rentabilidade ao negócio.

Segadoras e Enleiradoras

Além de produzir o fardo, a marca também disponibiliza equipamentos que iniciam este processo de enfardamento. São dois modelos de segadoras: uma de sete discos de corte, a MF DM 1309, e outra de cinco discos, a MF DM 1358, que possibilita a acoplagem do acondicionador de dedos MF KC 1358. Ambos os modelos contam com alta tecnologia e capacidade de corte, uniformidade no trato do material e baixo consumo de potência.

A linha de enleiradores da Massey Ferguson é composta por quatro modelos. Um deles é o MF 5130, destinado a trabalhos pesados, como a cana. Na continuidade do processo, depois que a palha estiver cortada e seca, a Massey Ferguson disponibiliza três opções de equipamentos para enleirar, sendo dois modelos de rotor único: MFRK 3814 DN e MFRK 3802, e outro com dois rotores: o MFRK 3875. Os enleiradores estão preparados para trabalhar tanto com material para o trato animal, quanto com materiais destinados à biomassa, atividade que exige alta capacidade de recolhimento deste tipo de maquinário. Os modelos foram projetados para oferecer alta robustez, resistência operacional e versatilidade, ideais para trabalhos com materiais secos, pesados ou úmidos, além de oferecer facilidade de operação e eficiência nas atividades.

“Oferecemos máquinas que contribuem com os sistemas produtivos e que combinam eficiência econômica, preservação dos recursos naturais e biodiversidade, além de atender as principais necessidades dos produtores e pecuaristas”, destaca Ruppenthal.

Fonte: Agrolink