Pecuária

Mapa limita exportações de subprodutos de bovinos

11/02/2014

A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) pretende entrar com uma ação judicial contra uma decisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que limitou as exportações de subprodutos de bovinos.
Segundo informações da associação, a medida vai prejudicar principalmente os pequenos e médios frigoríficos do Brasil e, consequentemente, do Paraná.

De acordo com levantamento da Abrafrigro, o mercado de exportações de miúdos e despojos de bovinos, como reto, aorta, medula espinhal, baço, entre outros produtos, movimenta US$ 300 milhões anuais em exportações e tem como principal comprador a China.

O presidente a Abrafrigo, Péricles Salazar, disse que agora somente os frigoríficos que possuem habilitação para exportar – e que são geralmente os de grande porte – poderão comercializar os subprodutos bovinos no mercado externo.

Antes, os pequenos e médios produtores que não tinham habilitação para exportar podiam recorrer aos Entrepostos de Carnes e Derivados (ECD’s), ou seja, empresas que compravam dos frigoríficos e têm habilitação do Mapa para exportar. Agora, isso não é mais possível. Cerca de 200 pequenos e médios frigoríficos brasileiros entregam sua produção aos ECD’s para exportação.

Ele contou que, antes de 2004, os subprodutos eram usados pelos frigoríficos para fazer farinha de carne e ossos para ração animal. Havia também empresas menores que descartavam indevidamente no meio ambiente.

Mas, a partir do momento que o Brasil descobriu este novo nicho do mercado chinês, a comercialização de subprodutos foi crescendo e o Mapa resolveu disciplinar a comercialização através da Circular 279/2004. Agora, no dia 5 de fevereiro, a Circular 02/2014 trouxe novas medidas.

Salazar disse que os entrepostos comerciais representavam cerca de 60% das vendas de subprodutos para o mercado externo. Segundo ele, o País tem 12 entrepostos que empregam cerca de 4 mil funcionários. Hoje, os frigoríficos habilitados para exportar somam 30 empresas no Brasil. Atualmente, a China consome cerca de 90% da exportação de subprodutos do Brasil. Estes itens são considerados não comestíveis no Brasil, mas possuem mercado garantido entre os chineses porque já estão incorporados aos hábitos alimentares da população.

O Ministério da Agricultura foi procurado pela reportagem para esclarecer o assunto, mas não retornou até o fechamento desta edição.

Folha Web
Autor: Andréa Bertoldi