Pecuária

Manejo tranqüilo e sem estresse promove maior ganho de peso no rebanho

28/08/13
A recomendação é da especialista em manejo racional e bem-estar animal Mary Temple Grandin, da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos

Grandin, que é autora de diversos livros sobre o assunto, participará do 1o Webinar de Manejo e Bem-Estar Animal, coordenado pelo IEPEC em 9 de setembro. Em entrevista exclusiva ao Sou Agro ela fala sobre os benefícios das práticas que recomenda. Confira:

Sou Agro – Como foi a experiência de educar os criadores e frigoríficos nos Estados Unidos sobre os benefícios da adoção de tratamento mais humano e bem-estar animal? Foi fácil?

Temple Grandin – Quando eu comecei meu trabalho, eu convenci criadores de gado e matadouros para fazer as alterações com o objetivo de reduzir custos. Manipulação ou sobrecarga de caminhões aumenta as contusões nos animais. E contusões causam grandes perdas econômicas. Pesquisa feita pelo meu grupo de pesquisa foi um dos primeiros estudos que mostraram que, quando o gado fica agitado e luta durante o manuseio no tratamento veterinário, tem menor ganho de peso. Gado que se mantém calmo, ganha mais peso. Descobri que, muitas vezes, era mais fácil convencer as pessoas a comprar novos sistemas do que a usá-los corretamente. A parte mais difícil é levar as pessoas a lidar com o gado em silêncio e calma. As pessoas precisam parar de gritar e dar ordens em voz alta ao gado.

Sou Agro – Além dos EUA, quais países seguem essas recomendações?

TG – Minhas recomendações tanto quanto aos projetos de instalações e equipamentos adequados, como nos de auditoria para o bem-estar animal têm sido empregadas em diversos países, como Austrália, Argentina, Uruguai, Canadá e na Ásia.

Sou Agro – Como a senhora pode medir os benefícios (além de ética) das práticas de bem-estar animal? As pessoas podem senti-los na qualidade da carne ou leite?

TG – Há muitos benefícios quando se lida com o gado com calma e sem estresse, tais como maior ganho de peso, menos contusões e menos acidentes que prejudicam tanto as pessoas como os animais.

Sou Agro – Essas práticas são recomendadas apenas para bovinos?

TG – Boas práticas de manejo também são muito importantes para outros animais, como suínos, ovinos e aves.

Sou Agro – No Brasil, recentemente a Embrapa, que é a empresa estatal de pesquisa na agropecuária, lançou um programa para educar os criadores de gado segundo a teoria do bem-estar animal. A senhora já ouviu falar sobre este ou outro programa similar brasileiro?

TG – Estou satisfeita em saber que existe um programa de bem-estar animal no Brasil. Eu tenho um livro que pode ser útil e cujo título é Melhorando o Bem-Estar Animal: Uma Abordagem Prática por Temple Grandin. Ele pode ser encomendado em www.caqbi.org . Além disso, no meu website (www.grandin.com) há muitas mais informações para quem se interessar em se aprofundar mais sobre o assunto.

Fonte: Agrolink