Sanitário

Infecção Uterina na Égua

Problemas infecciosos no útero da égua acontecem comumente, geralmente causando redução na fertilidade e podem progredir para uma total infertilidade.

Endometrite é o termo usual para definir a inflamação do endométrio uterino em resposta a uma agressão, geralmente por microorganismos. Classificamos os diversos tipos de endometrites de acordo com sua etiologia (causa predisponente), podendo ser fisiológica, em algumas situações, ou patológicas em outras.

O sistema reprodutivo da égua possui barreiras físicas e biológicas para evitar e combater a infecção e inflamação uterinas. As barreiras físicas incluem a vulva, vagina e cérvix uterino. Qualquer falha em uma destas barreiras pode predispor a uma infecção por microorganismos (bactérias e fungos). Os mecanismos de defesa uterinos são responsáveis por combater e eliminar as infecções do útero.

Falhas nas respostas uterinas ou nas barreiras físicas de proteção determinam uma sub-fertilidade relacionada com endometrites agudas ou crônicas. A endometrite deve ser tratada dada sua etiologia e cabe ao médico veterinário diagnosticar e propor um tratamento. 

O diagnóstico deve ser realizado pela anamnese, com exame direto do sistema reprodutivo e também por meio de exames complementares, que inclusive auxiliarão na escolha do tratamento mais adequado. Diversos protocolos existem para tratar endometrites agudas e crônicas. Alguns tratamentos modernos e outros experimentais revelam sua eficácia atuando nos processos de endometrites.

Endometrites não tratadas ou, quando tratadas inadequadamente, causam lesões no endométrio que afetam negativamente a performance reprodutiva da égua.

Endometrose é o termo que substitui a expressão Endometrite Degenerativa Crônica e descreve todos os processos de lesões e alterações degenerativas (fibrose e alterações glandulares degenerativas). Tais condições são diagnosticadas e classificadas em graus (de I a IV) através de biópsia endometrial.

É difícil se obter sucesso no tratamento da endometrose. Estes tratamentos, desconsiderando sua eficácia questionável, podem causar danos irreversíveis ao trato genital da égua.

 Fonte:

http://www.personalhorse.com.br/PH%20saudeequina.htm#Transferência de Embrião no Eqüino