Sanitário

Doenças renais

Hoje iremos abordar as doenças renais, que são freqüentes, tanto em cães, quanto em gatos. Elas se dividem em crônicas e agudas. As doenças renais de caráter crônico são mais prevalentes em animais idosos e as de caráter agudo ocorrem em animais de qualquer idade. Existem muitas causas e fatores que quando associados desenvolvem o quadro, pois as doenças renais são multifatoriais.

O primeiro deles é a pré-disposição genética que o animal pode ou não apresentar. Esta “tendência” normalmente é o fator mais importante. Com relação aos outros fatores, os principais são: estresse, alimentação inadequada, falta de livre acesso a água, traumas principalmente em região dorsal (próximas aos rins), retenção urinária, entre outros. Os animais também podem apresentar as famosas “cólicas de rim”, que são dores secundárias ao deslocamento de cálculos (pedras) no aparelho urinário, o que pode provocar dores agudas e devem ser tratadas imediatamente. Nos gatos é muito comum a Síndrome Urológica Felina (S.U.F.), que é uma inflamação do trato urinário com precipitação de cálculos, inclusive na bexiga. Esta síndrome ocorre também a partir de uma pré-disposição, como também está relacionada a outros fatores, principalmente a alimentação. A alimentação é tão importante, que quando retira-se o cálculo do animal, realiza-se um exame chamado “exame de qualificação de cálculo”, o que nos permite saber sua exata constituição, para que a partir deste momento o animal alimente-se de uma dieta controlada com relação aos constituintes daquele cálculo. Quanto a castração do felino macho, ela agrava a doença, pois ocorre uma diminuição abrupta do hormônio testosterona produzido pelo testículo (que é removido na castração), provocando uma diminuição do diâmetro da uretra peniana, o que aumenta a possibilidade de mesmo pedras muito pequenas obstruírem esta região, dificultando a passagem da sonda uretral para esvaziamento da bexiga e tratamento da inflamação.

As doenças renais quando diagnosticadas precocemente tem uma evolução boa, no entanto, quando isto não ocorre ou quando o tratamento não é feito de forma correta, as conseqüências são graves, pois o animal pode evoluir para um quadro de insuficiência renal, que é a paralisação de funcionamento dos rins. Um animal com insuficiência renal necessita de um transplante do órgão afetado, no entanto, como isto ainda não é feito de rotina, infelizmente o animal não sobrevive. Atualmente já existem aparelhos de hemodiálise (fazem o papel dos rins, filtrando a urina) para que os nefropatas (pacientes com afecção renal) tenham uma sobrevida maior e com qualidade de vida.

Enfim, a saúde é o bem maior de todos nós. Por isto seja um proprietário atencioso com o seu animal. Observe sempre a sua urina, veja se a cor, cheiro estão aparentemente normais. Fique atento com relação a presença de cálculos e manchas de sangue juntos da mesma. Observe sempre a sede do animal e a presença de formigas próxima a urina (diabetes) e caso o animal apresente alguns destes sinais, não vacile, procure o veterinário e faça o tratamento rigorosamente indicado pelo profissional.

 Fonte: http://www.marcosfernandes.vet.br/pdf/Doencas_Renais.pdf