AIE – Anemia Infecciosa Eqüina

AIE – Anemia Infecciosa Eqüina 

O exame de AIE é obrigatório para todos os animais e imprescindível para os que estejam em trânsito, seja por motivos de compra e venda (leilões), exposições e competições ou fins reprodutivos. Além de ser exigido para retirada de GTAs (guia de trânsito animal). Muita gente não sabe da real importância da realização deste teste e mesmo que doença é está e como ela afeta os cavalos.

A Anemia Infecciosa eqüina (AIE) é uma doença viral causada por um lentivírus que acomete os eqüídeos de todo o mundo, sendo transmitida primariamente pela picada de insetos hematófagos (especialmente mosquitos), mas também pode ser transmitida através de instrumentos e equipamentos contaminados com sangue infectado. A transmissão também pode ocorrer através da placenta e do colostro para os potros. O vírus causa uma infecção persistente nos cavalos, caracterizada por febre, inapetência, letargia, perda de peso, depressão e anemia, principalmente. E embora a doença clínica possa não ser evidente, os animais contaminados permanecem infectados e disseminadores da doença por toda a vida. O diagnóstico clínico é difícil de ser realizado, pois muitos acometidos não manifestam qualquer sinal aparente da doença.  O melhor diagnóstico é laboratorial, através de um exame de sangue, pelo Teste de Coggins. Uma vez soropositivo, o animal deve ser eutanasiado.

 O exame tem validade de 60 dias, devendo ser refeito toda vez que passar esse prazo. Alguns haras, que possuem o título de propriedade livre da doença, podem realizar o teste a cada 6 meses.

Toda vez que seus animais saírem da sua propriedade, certifique-se de que o sangue foi coletado e as guias de exames preenchidas e assinadas pelo médico veterinário responsável. Isso deve ser feito com antecedência, pois o resultado do exame só fica pronto em 48 horas. O que vale também para todos os animais que entrarem na sua propriedade. Só o teste negativo para Anemia Infecciosa Eqüina garante que seus animais estão fora de risco.

Vale ressaltar que o proprietário deve exigir a coleta de sangue do seu animal para envio ao laboratório. Não esqueça que as guias devem ser preenchidas com os dados e resenha corretos, assinadas e carimbadas pelo médico veterinário requisitante. Sem essas informações, isto é, guias não assinadas ou preenchidas incorretamente, não têm validade perante a legislação. Exija, pois infelizmente ainda existem práticos que não respeitam essas normas, pondo em risco a saúde dos animais.

A AIE deve ser encarada com seriedade, todos os envolvidos devem cumprir com sua parte: fiscalização sanitária, obrigatoriedade de apresentar o exame para entrada em locais de concentração de cavalos (parques de exposição, jóqueis clubes, haras…), o médico veterinário deve coletar o sangue do animal, preencher, assinar e carimbar as guias enviadas para laboratórios credenciados pelo Ministério; e o proprietário deve exigir tudo isso, pois a conta final é dele. Paga pelo exame, mas paga muito mais caro se não houver responsabilidade das outras partes para prevenir o risco de perdas.

 Fonte:

http://www.personalhorse.com.br/PH%20saudeequina.htm#Transferência