Pecuária

Manejo e terceirização no setor lácteo são temas de palestras

20/10/2016

Buscando informar técnicos do estado em relação às novidades sobre o setor da pecuária, no que diz respeito a produção de leite, a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Goiás (Sebrae Goiás), realizaram nesta quarta-feira (19), em Goiânia, palestras destinadas a engenheiros agrônomos e florestais, médicos veterinários e zootecnistas. O evento faz parte do 1° Encontro Estadual de Empreendedores do Leite, que será realizado nesta quinta-feira (20), das 8h30 às 17 horas, no Clube de Pesca Lago Verde, na capital.

Dando as boas-vindas aos participantes, o superintendente do Senar Goiás, Eurípedes Bassamurfo, destacou a importância da pecuária de leite em Goiás e o quanto ela ainda pode crescer com assistência técnica de qualidade. “Eventos como estes fazem com que as novas tecnologias, inovação e a ciência, como um todo, possam ser aplicadas no meio rural. Com isso os produtores irão conseguir alavancar a produtividade na fazenda”, ressaltou Bassamurfo, que na ocasião estava representando o presidente da Faeg, José Mário Schreiner.

Para a gestora de projetos rurais do Sebrae Goiás, Agma Couto, reunir técnicos e consultores é fundamental para adquirir novas informações relacionados ao avanço do produtor rural. “Nosso foco é levar aos produtores capacitação e conhecimentos que possam ser agregados no dia a dia da produção”, disse.

Manejo de qualidade

O pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Pecuária Sudeste, Júlio César Palhares, ministrou palestra sobre “Manejo de Recursos Hídricos” e destacou a necessidade dos produtores desenvolverem técnicas que possibilitem avanços na qualidade animal. “Estamos falando de aproveitamento e não de desperdício. O produtor de leite deve ter consciência sobre a importância da água para alimentação, insumo e recurso natural”, frisou.

Segundo o pesquisador, o manejo de resíduos hídrico, solo e biodiversidade devem andar juntos. Ele acredita que este fator diz respeito ao uso cotidiano de conhecimentos práticos e tecnológicos, que sustentam o eficiente uso de nutrientes e insumos, em busca de conservar os organismos e os recursos naturais, afim de proporcionar de forma adequada o avanço na produção.

Acompanhando a palestra, o técnico do Programa Goiás Mais Leite, do Senar Goiás, Tiago Moreira, destacou a necessidade de aproximar o produtor dessa nova realidade. “Trabalhamos diariamente na assistência de produtores de leite e um dos fatores está na inserção de novas ferramentas para ampliar a produção e qualidade do leite”, ressaltou.

Terceirização

Com a palestra “Terceirização de Serviços na Atividade Leiteira”, o engenheiro agrônomo e diretor presidente da Cooperativa para Inovação e Desenvolvimento da Atividade Leiteira (Cooperideal), Marcelo de Rezende, destaca que uma das novas possibilidades para aumentar a rentabilidade do setor está ligada a terceirização na gestão de recria de animais. “Sem gestão não conseguimos evoluir. É preciso que a atividade leiteira seja bem desenvolvida. Portanto, é necessário apostar na terceirização de serviços, contrato de parcerias, eficiência na mão de obra e especializações na recria de animais”, destacou.

Fonte: FAEG – Federação da Agricultura do Estado de Goiás