Trigo

Manejo de trigo: ferramenta fundamental para garantir a produtividade

O trigo é uma cultura muito sensível e a adoção de tecnologia no campo é fundamental para que se possa obter resultados expressivos de produção. Vale destacar que a ausência de controle de doenças, plantas invasoras e pragas que infestam as lavouras pode gerar grandes prejuízos aos triticultores.

O manejo integrado consiste na adoção conjunta de estratégias de controle. O sistema tem início com escolha das cultivares, optando sempre por aquelas que possuam bom potencial produtivo e algum grau de resistência às principais doenças, seguida pelo tratamento das sementes escolhidas e fechando com a aplicação correta de defensivos agrícolas, sempre com a recomendação e o acompanhamento de um responsável técnico. A adoção de medidas preventivas permite retardar o início das doenças e reduzir danos de pragas e perdas com a concorrência de plantas daninhas, o que proporciona o potencial produtivo da planta e, com isso, a rentabilidade com a cultura.

“As doenças foliares do trigo podem causar danos elevados à cultura. Já houve casos de até 80% de dano pela ferrugem do trigo, 60% pelo oídio e 38% pelas manchas foliares. A giberela, que é uma doença da espiga, pode comprometer em até 20% o rendimento de grãos. Na fase inicial da cultura, deve-se dar atenção ao Nanismo Amarelo (VNAC), uma virose transmitida por pulgões, cujo dano pode chega a 60%, especialmente se a infecção ocorrer nos primeiros 30 dias do ciclo da cultura“, explica o professor da Universidade de Passo Fundo, Carlos Alberto Forcelini.

Um bom exemplo de que o manejo correto proporciona excelentes resultados na produção é a Fazenda Três Rios, localizada no município de Vacaria, no Rio Grande do Sul. Mesmo com os problemas climáticos registrados na última safra, a propriedade, que está entre as maiores produtoras de trigo do Brasil, conseguiu assegurar um crescimento de 10% em relação à safra de 2005, produzindo acima de três mil quilos por hectare. “O tratamento das lavouras é fundamental para o controle de pragas e doenças, pois garante segurança no plantio e qualidade da produção. Sem este controle, a perda aqui na fazenda poderia ser superior a 40%. Estamos otimistas com esta safra e já iniciamos os trabalhos, com a escolha dos cultivares e o tratamento das sementes“, destaca o proprietário da Fazenda Três Rios, Franco Stedile.

“Fazer o monitoramento freqüente da lavoura, a fim de detectar com precisão o momento do aparecimento das doenças, é essencial para realização de um controle efetivo. Esse controle faz toda a diferença para que o triticultor possa produzir com qualidade e isso vale para lavouras de todos os portes“, reforça professor Forcelini.

Outro produtor entusiasmado com a expectativa de uma boa safra é Paulo Sortica, da Granja Sandri. A propriedade, localizada em Palmeiras das Missões, também no Rio Grande do Sul, produz trigo em aproximadamente 480 hectares. Na safra passada foram produzidas 52 sacas por hectare e para a próxima colheita a estimativa é de um aumento de 15%. Sortira explica que começou o trabalho com a rotação de cultura (plantio de soja no período de verão) e adubação do solo. “Agora é a hora do tratamento preventivo, que sempre dá resultado. Já realizamos o tratamento das sementes de trigo para garantir maior proteção na fase inicial da cultura e permitir que as plantas cresçam mais vigorosas, com todo seu potencial produtivo. Agora já estamos preparados para dar seqüência às próximas etapas do manejo. Prevenção é a palavra de ordem“, afirma Sortica.

O administrador da Granja Sandri destacou ainda a importância do acompanhamento técnico da safra. Esse trabalho permite detectar as variações que podem ocorrer durante o ciclo da cultura. “Adotamos o acompanhamento técnico há dois anos e isso proporcionou um aumento de 30% na produtividade da fazenda. O apoio do engenheiro agrônomo da Bayer CropScience, que é especialista na cultura do trigo, nos auxilia a detectar rapidamente o aparecimento de doenças e pragas, para a escolha do melhor tratamento. O trabalho proporcionará resultados excelentes no final da safra“, conclui Sortica.

Para a safra de trigo que se inicia, especialistas prevêem um aumento significativo da área plantada e da produção. Em 2006 a cultura alcançou área plantada de 1,6 milhão de hectares, com produção de 2,3 milhões de toneladas de grãos. Para 2007, a previsão é de que a área plantada chegue a 2 milhões de hectares a estimativa de produção é de 4,2 milhões de toneladas.

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=19848