Milho

Manejo de Percevejos no Milho Safrinha

Há dois anos, quando as lavouras de milho eram plantadas apenas com híbridos convencionais, a lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) era considerada a principal praga desta cultura. Contudo, com a liberação comercial da tecnologia Bt e possibilidade de controle desta praga, outros insetos, como os percevejos, ganharam importância a ponto de merecerem especial atenção de técnicos e produtores na condução de suas lavouras.

Atualmente, existem dois gêneros de percevejos que são considerados pragas da cultura da soja e que causam enormes prejuízos nas lavouras de milho safrinha: o percevejo barriga-verde (Dichelops furcatus). Em função de seu comportamento e hábitos alimentares, a identificação destes insetos a campo é difícil. De forma geral, eles podem ser encontrados sob restos de cultura (palhada) nos horários mais quentes do dia, bem como em grãos após a colheita da soja e em plantas daninhas remanescentes da cultura anterior, preferindo os horários de temperaturas mais amenas para se alimentar.

Identificação e Danos
As condições climáticas predominantes durante a fase de desenvolvimento da cultura da soja exercem grande influência sobre a incidência de percevejos no milho safrinha. Quando as temperaturas estão mais elevadas, observa-se maior ocorrência de percevejo-marrom e, quando as temperaturas estão mais amenas, observa-se maior ocorrência do percevejo barriga-verde.

O percevejo barriga-verde foi o primeiro a se adaptar à cultura do milho e provocar danos durante as fases iniciais. Contudo, em áreas com alta pressão deste inseto, é possível observar danos nas fases mais avançadas de desenvolvimento desde V6 até próximo ao florescimento e, em casos esporádicos, até mesmo durante a fase de enchimento de grãos. Os danos causados por este inseto podem ser leves, com a presença de folhas com pequenas perfurações simétricas, até severos, com danificação do cartucho, formação de perfilhos ou, até mesmo, a morte da planta Os primeiros relatos da ocorrência do percevejo-marrom em lavouras de milho surgiram nos últimos anos e nunca estiveram associados a danos expressivos nesta cultura, provavelmente pela forte presença do percevejo barriga-verde nas principais regiões produtoras de milho. Devido ao fato deste percevejo ser encontrado em menor proporção, muitos técnicos e produtores podem não estar familiarizados com o ataque e sintomas provocados por ele nas lavouras de milho.

Inicialmente, foi observada a presença do percevejo-marrom em plantas de milho mais desenvolvidas, a partir de V10 até a fase de enchimento de grãos, em que o mesmo fica próximo à espiga sugando nutrientes e sem causar danos aparentes.

Mais recentemente, em especial na safrinha passada, devido às altas temperaturas durante o desenvolvimento da cultura da soja, foi observada uma pressão muito maior do percevejo-marrom do que o percevejo barriga-verde, registrando-se o seu ataque já nas fases iniciais de desenvolvimento da cultura do milho.

Entretanto, os sintomas do seu ataque são menos notados, pois seu estilete é mais curto e dificilmente provoca danos severos como o perfilhamento ou, até mesmo, a morte da planta principal. Normalmente, o que se observa são lesões simétricas nas folhas mais novas e desenvolvimento mais lento destas plantas atacadas, originando plantas dominadas com espigas pequenas ou até mesmo, nos casos mais severos, plantas sem espigas, comprometendo a produtividade final da lavoura.

) e (Dichelops melacanthus) e o percevejo-marrom (Euschistos heros

Nos últimos anos, a cultura do milho safrinha teve aumento expressivo na área cultivada, sendo que a maioria das lavouras é plantada após a colheita da soja. Neste sistema, algumas pragas que eram consideradas importantes apenas na cultura da soja, hoje, também causam prejuízos significativos nas lavouras de milho.

Fonte:  http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/manejo-de-percevejos-no-milho-safrinha-1.449203