Soja

Manejo da Soja com o gene Roundup Ready® no Brasil

Técnico x Operacional – Identificando o problema

Muitos produtores das diferentes regiões produtoras do País vêm antecipando seus plantios e trabalhando com cultivares de ciclo mais precoce por três razões evidentes:

• Reduzir o número de aplicações para controle da Ferrugem na soja;
• Escalonar colheita da soja no Sul e nas regiões onde é possível;
• Aumentar a janela de plantio do milho safrinha (segunda safra).

Contudo, a antecipação no plantio em relação à época recomendada pelos órgãos de Pesquisa faz com que a soja seja afetada, antecipando seu florescimento e por consequência, reduzindo o desenvolvimento vegetativo. Isto ocorre porque a soja é uma planta de dias curtos. Portanto, as noites promovem forte influência na cultura, determinando o início do período reprodutivo.

Outro aspecto com relação à época de plantio é que, normalmente, as chuvas não são suficientes para favorecer a emergência das primeiras camadas de ervas daninhas e, como consequência, muitas lavouras são semeadas em áreas sem manejo antecipado ou, então, são realizadas no modelo desseque e plante. Dessa forma, o resultado final acaba sendo prejudicado, gerando dúvidas sobre a viabilidade da tecnologia Roundup Ready®.

Mato Competição

As primeiras pesquisas de matocompetição no Brasil, feitas em áreas no cultivo convencional, mostravam que a soja poderia conviver com as plantas daninhas por um período de 20 a 30 dias, sem comprometer a produtividade. Contudo, esta informação era válida para áreas com baixa infestação.

Na atualidade sabemos que a grande maioria das áreas no sistema de plantio direto apresenta infestação de média a alta e, com isso, o período de competição entre plantas daninhas e a cultura também é menor. Trabalhos recentes mostram que em áreas com alta infestação por leiteiro (Euphorbia heterophylla) pode-se esperar um período máximo de 12 dias após a emergência da soja sem que haja perda de produtividade.

Há grande erro em pensar que, por se tratar de soja com o gene Roundup Ready®, pode semeá-la no meio do mato para depois eliminar as plantas daninhas com a pulverização de herbicida. Ao fazer isso, a soja irá germinar em meio às plantas daninhas já estabelecidas e sofrerá uma concorrência inicial muito grande, o que acarretará em perdas. Inúmeros trabalhos avaliando a matocompetição inicial, no sistema desseque e plante, mostram perdas no rendimento de grãos variando de 14% até 50%.

Portanto, não há razão para existir diferenças entre soja convencional e soja transgênica frente à matocompetição, concluindo que ambas são influenciadas da mesma forma pelas plantas daninhas.

Estratégias de manejo da soja com o gene Roundup Ready®

Uma dessecação antecipada pode trazer benefícios como melhor eficiência da operação de plantio, menor infestação nas culturas que se estabelecem posteriormente, melhor eficiência dos herbicidas aplicados em pós-emergência, eliminação da interferência da cobertura vegetal que foi dessecada sobre a cultura que está emergindo, melhora a uniformidade da profundidade de semeadura e a distribuição de sementes, evita embuchamento, resultando em menores perdas na produtividade.

Assim, a dessecação deve ser feita, preferencialmente, 20 dias antes da semeadura da soja, dependendo do:

• Tipo e tamanho da cobertura vegetal que antecede o cultivo da soja;
• Regime de chuvas;
• Época de semeadura.

Com uma dessecação eficiente, consegue-se fazer a semeadura da soja no limpo, restando assim o controle das plantas daninhas que germinarem após a semeadura, o que normalmente pode ser conseguido com duas aplicações sequenciais de glifosato em pós-emergência.

Além disso, é importante seguir a recomendação da pesquisa quanto à época de plantio e que, segundo dados, de forma geral, os plantios deveriam iniciar em meados de outubro, pois, nestas condições, as chuvas já estarão normalizadas, favorecendo a emergência da lavoura e maximizando o resultado de colheita.

Benefícios da Soja com o gene Roundup Ready®

Passadas praticamente cinco safras de uso comercial da soja com o gene Roundup Ready® em todo o Brasil (liberação oficial em março de 2005), várias benefícios ficaram evidenciados, tais como:

• Controle mais eficiente de plantas daninhas;• Facilidade e flexibilidade no uso e aplicação de herbicidas;
• Antecipação do fechamento da lavoura;
• Bom controle de plantas daninhas até o período de maturação, proporcionando maior rendimento na operação de colheita e diminuição de impurezas e umidade nos grãos;
• Diminuição do risco de fitotoxicidade por herbicidas na segunda safra (safrinha);
• Facilidade na implantação e no manejo do sistema de semeadura direta.

A soja com o gene Roundup Ready® produz tão bem quanto os materiais convencionais. Basta apenas ao produtor seguir as orientações técnicas para desfrutar as vantagens e as facilidades desta tecnologia.

Fonte: Luis Carlos Tessaro – Engenheiro Agrônomo, M. SC., Gerente de Produtos e Tecnologia da Dupont do Brasil – Divisão Pioneer Sementes

http://www.ruralpecuaria.com.br/search/label/Soja