Pecuária

Leite funcional: projeto integra pesquisas

Você já imaginou poder tomar um leite que contenha componentes capazes de melhorar sua saúde, além de possuir os nutrientes importantes à nutrição? Comer uma manteiga e um queijo com uma composição mais saudável? Oferecer ao seu filho um iogurte que auxilie o crescimento e aumente a resistência às doenças?

Pesquisadores do Polo Centro Leste da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Apta) e da Universidade de São Paulo (USP) trabalham em parceria para que isso ocorra num programa de pesquisa chamado Leite Funcional.

Desenvolvido em Ribeirão Preto, ele realiza estudos de zootecnia e de nutrição e saúde humana com o principal objetivo de modificar a composição do leite por meio da alimentação da vaca para que este possua melhor composição que favoreça a saúde e/ou o crescimento de humanos, conforme explica a pesquisadora Márcia Saladini Vieira Salles, do Polo.

Márcia afirma que o leite de vaca é um dos alimentos mais importantes na nutrição humana por fornecer quantidades apreciáveis de nutrientes fundamentais para o organismo. Porém, ela aponta que a composição básica do leite bovino é direcionada para suprir as necessidades nutricionais dos bezerros. Essa composição pode ser modificada por meio de mudanças na alimentação das vacas, de modo a tornar o leite um alimento muito mais interessante para a nutrição humana.

O primeiro experimento foi realizado no final de 2009, na Fazenda Experimental de Zootecnia do Polo Centro Leste, com apoio financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp). As vacas leiteiras foram alimentadas com dieta adicionada de óleo vegetal, selênio e vitamina E. O segundo será realizado este ano.

O projeto é importante porque integra as pesquisas das áreas envolvidas e abrange toda a cadeia produtiva leiteira. Para os animais leiteiros, a possibilidade é a de melhorar o sistema imunológico e diminuir a incidência de doenças, como a mastite. Para o produtor rural, obter um leite de melhor qualidade e de maior valor agregado. Para os processadores e distribuidores da cadeia de produção, a oportunidade é a de agregar valor e vender um produto diferenciado. E para os consumidores, ter um produto mais nutritivo e saudável. (Texto: Assessoria de Comunicação da Apta. Veja a íntegra no site

www.apta.sp.gov.br)

INFORMAÇÕES:
Assessoria de Comunicação da Secretaria
Tel.: 11 5067-0069
Euzi Dognani/Adriana Rota/Nara Guimarães
Patrícia Aparecida da Silva (estagiária)

Assessoria de Comunicação da Apta
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

Fonte: http://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/2456