Leite

Leite Compen$ado: denunciados mais dois envolvidos na fraude do leite

A Promotoria de Justiça Especializada Criminal da Capital denunciou, no final da tarde desta terça-feira, 28, mais dois envolvidos na fraude do leite, investigada pela Operação Leite Compen$ado. As denúncias foram oferecidas nos Judiciários das Comarcas de Horizontina e Três de Maio.

Em Horizontina, sete laudos de coletas do Mapa apontaram formol no leite de caminhões de Schultz

HORIZONTINA

O sócio de uma empresa de transporte de leite e Vereador licenciado Larri Lauri Jappe, atualmente recolhido no Presídio Estadual de Santa Rosa, foi denunciado pelo crime de corromper, adulterar e alterar leite in natura, substância alimentícia destinada a consumo, tornando-a nociva à saúde e reduzindo-lhe o valor nutritivo. Em sete laudos emitidos por laboratório credenciado pelo Ministério da Agricultura foi identificada a presença de formol em amostras de leite coletadas entre abril e maio. Conforme notas fiscais eletrônicas emitidas pela Secretaria Estadual da Fazenda, tanto o denunciado quanto a empresa Larri Lauri Jappe e Cia Ltda adquiriram formol e ureia no período que compreende as investigações. O produto, depois de adulterado, era entregue para a Líder Alimentos do Brasil, responsável pela marca Líder, que teve um lote retirado do mercado pela presença de formol.

Em cumprimento ao mandado de busca e apreensão expedido para o imóvel do denunciado e no estacionamento de caminhões ao lado deste local, foram encontradas seis sacas de ureia de 50 quilos cada uma. Além disso, outras 47 sacas de ureia foram entregues de forma espontânea, das quais Larri Lauri Jappe ficou como fiel depositário. Segundo o Promotor de Justiça Mauro Rockenbach, que assina as denúncias, “o denunciado praticou a adulteração com o intuito de aumentar tanto o volume quanto o prazo de validade do leite e, por conseguinte, impulsionar a lucratividade gerada pela fraude, sendo que a adição da ureia contendo formol serviu, também, para mascarar a adição da água”.

TRÊS DE MAIO

O proprietário de uma empresa de transporte de leite Paulo Rogério Schultz (também no Presídio Estadual de Santa Rosa) foi denunciado também por fraudar o alimento com água e ureia contendo formol, conforme apontou laudo emitido pelo mesmo laboratório realizado em amostra coletada pelo Ministério da Agricultura em 22 de abril. A denúncia também é assinada pelo Promotor de Justiça da Comarca, Ricardo de Melo Souza.

Foi comprovada, ainda, a compra de ureia pela empresa de Paulo Rogério Schultz. Além disso, foi encontrado, em cumprimento a mandado de busca e apreensão em imóvel de Paulo Schultz na cidade de Boa Vista do Buricá, um papel contendo, em um lado, a indicação “Estabilizante (LTV)” e, no outro, a fórmula e a quantidade de cada substância utilizada na fraude, manuscrita à mão, com a indicação de “1 pote de sal, 50 de água, 01 pote de bicarbonato, 1 pote de açúcar, 100 de algum produto não identificado e ureia”.

Também foram apreendidos dez sacos de sal iodado, de um quilo cada um, um quilo de ureia, quatro sacos vazios do mesmo produto e diversas embalagens vazias de sal. Em razão da entrega reiterada de leite em más condições de qualidade, os denunciados Paulo Rogério Schultz e Claudir Luis Baum foram desligados da indústria Promilk.

As informações são do Ministério Público do Estado do RS, adaptadas pela Equipe MilkPoint.