Suinos

Lacombe

A raça é de porte médio, branca, com grandes orelhas caídas, pernas curtas e conformação bem carnuda. A raça foi especialmente selecionada e conhecida pela sua precocidade e docilidade, especialmente das fêmeas. Na sua melhoria houve a seleção dos animais visando maior tamanho das leitegadas, maior peso na desmama, melhor taxa de crescimento, eficiência na conversão alimentar, qualidade de carcaça e solidez física.

O programa de melhoramento genético começou em 1947 e foi realizado no ‘Centro de Pesquisas do Departamento de Agricultura do Canadá’ em Lacombe, Alberta, sob a direção de J.G. Stothart e H.T. Fredeen. O nome da raça foi emprestado da cidade onde se localiza este Centro de Pesquisas. Foi resultado do cruzamento de fêmeas Berkshire canadenses com reprodutores mestiços Landrace/Chester obtidos numa parceria com ‘Departamento de Agricultura dos Estados Unidos’. Depois de 12 anos de reprodução seletiva e testes zootécnicos foram separados 258 reprodutores e 840 fêmeas para estabelecer a raça. Todos os animais que entraram no plantel após 1954, foram retro-cruzados com Berkshire e aqueles que produziram descendentes com pelagem preta foram descartados. Os reprodutores foram liberados para o mercado em 1957 e as fêmeas no ano seguinte. A raça é bastante presente na região central do Canadá, onde ganhou reputação pela alta fertilidade das fêmeas. As províncias de Manitoba, Saskatchewan e Alberta a raça é predominante para criação direta e para cruzamentos industriais. Os zootécnicos estimam que a raça tem 56% de sangue Landrace, 23% de sangue Berkshire e 21% de sangue Chester White. Em 1959 foi constituída a ‘Associação Canadense dos Criadores de Lacombe’. A raça Lacombe foi também introduzida nos Estados Unidos, Japão, México, Rússia, Europa Ocidental e outros países.

 

Fonte: http://stravaganzastravaganza.blogspot.com/2011/05/principais-racas-de-suinos-do-mundo.html