Suinos

Laboratório do IMA amplia monitoramento da Peste Suína Clássica

Granjas de Reprodutores Suídeos Certificadas (GRSC), de Minas e dos demais estados brasileiros com interesse na certificação podem enviar amostras de soro sanguíneo de suínos para o Laboratório de Saúde Animal (LSA) do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O objetivo é expandir a área de atuação no monitoramento da Peste Suína Clássica.
O LSA já tem recebido amostras de soros coletados de suínos provenientes de granjas comerciais de Minas desde seu credenciamento, em fevereiro de 2011.
Desde 2009, há um sistema de vigilância constante em Minas Gerais para o controle e manutenção do status sanitário do estado como zona livre da doença. E este ano, as equipes de defesa sanitária e de inspeção do IMA estão envolvidas no monitoramento da Peste Suína Clássica abrangendo frigoríficos com Serviço de Inspeção Estadual (SIE), além das demais granjas comerciais de suínos e criatórios de suídeos do estado.
Será realizada em Minas, a colheita de amostra de soro sanguíneo de pelo menos um suíno reprodutor em frigoríficos de abate.
De acordo com a médica veterinária do IMA, Júnia Gonçalves, como os animais reprodutores ficam um maior período de tempo nas granjas, eles refletem o perfil sanitário desses estabelecimentos.
Para o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o constante monitoramento visa impedir o ingresso da Peste Suína Clássica possibilitando um controle eficaz em todo o estado. “O monitoramento é realizado devido à importância econômica da suinocultura em Minas, pois o estado é o 4º maior produtor de suínos do país e devido à necessidade de manter os níveis de produtividade”, informa.
O IMA executa desde 2001, o Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS), coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O objetivo é controlar e erradicar as principais doenças infecciosas que afetam o rebanho suíno em todo o país. Minas é um estado considerado livre da doença desde a implantação do programa, há 10 anos.
Atualmente, 15 estados integram a Zona Livre. São eles: Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goias, Tocantins, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Sergipe, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rondônia.
Exames laboratoriais
O LSA do IMA é uma rede laboratorial composta pelos Laboratórios de Diagnóstico de Doenças Neurológicas (LDDN), Laboratório de Diagnóstico Sorológico (LADS), Laboratório de Produção e Distribuição (LAPD) e Laboratório de Diagnóstico Parasitológico (LADP) que realizam diagnósticos das enfermidades animais inseridas em Programas de Controle e/ou Erradicação Estaduais e Nacionais, incluindo a Peste Suína Clássica.
As amostras que são coletadas semestralmente para a certificação das GRSC (referentes à Peste Suína Clássica, Aujeszky, leptospirose, brucelose e sarna) podem ser encaminhadas para o LSA. As granjas comerciais e frigoríficos também podem enviar suas amostras. Para maiores informações basta acessar o site www.ima.mg.gov.br.
Fonte: IMA
http://www.ruralpecuaria.com.br/search/label/Suinocultura