Pecuária

IMA reconhece São João Batista do Glória como produtor de Queijo Minas Artesanal

05/01/2017

São João Batista do Glória é uma  pequena cidade de aproximadamente 7 mil habitantes e foi reconhecida como integrante da microrregião da Serra da Canastra para produção do Queijo Minas Artesanal (QMA). A Portaria 1687 publicada pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) em 23 de dezembro de 2016 chancelou a cidade como a oitava integrante da Microrregião da Serra da Canastra, já composta pelos municípios de Bambuí, Delfinópolis, Medeiros, Piumhi, São Roque de Minas, Tapiraí e Vargem Bonita.

A partir de agora, toda queijaria instalada em São João Batista do Glória poderá se cadastrar ou se registrar no IMA para comercializar seus produtos em todo o estado com a denominação de QMA da Microrregião da Canastra. “Após esse reconhecimento os produtores do município poderão cadastrar ou registrar a sua produção no IMA e expandir as vendas.  Apenas na Microrregião da Canastra o IMA já cadastrou 45 queijarias”, disse a gerente de Inspeção do IMA, Patrícia Barros.

 Ela explica que o proprietário da queijaria deve realizar todas as adequações de sua propriedade de acordo com a legislação vigente e fazer uma análise da água e do queijo até solicitar uma vistoria ao IMA. Cumprindo todas as exigências, o produtor terá sua queijaria habilitada e poderá futuramente continuar o processo de registro para vender em todo o país. “Apenas as queijarias registradas pelo IMA e inseridas no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi/POA) poderão comercializar o queijo minas artesanal para outros estados do Brasil”, pondera Patrícia Barros.

Até a cidade ser firmada oficialmente como integrante da Microrregião da Canastra, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) elaborou um longo estudo avaliando e caracterizando a região em aspectos como clima, relevo, solo e geologia.

 Apoio à agroindústria – Para o diretor-geral do IMA Marcílio de Sousa Magalhães esse reconhecimento demonstra o apoio do IMA aos produtores da agroindústria familiar, ciente da sua importância como geradora de emprego e renda. “O queijo minas artesanal é uma iguaria mineira bastante apreciada e sua produção deverá ser sempre valorizada pela sua importância econômica e cultural”, disse.

Para o diretor de Planejamento, Gestão e Finanças do IMA Sanzio Pereira Soares “o próximo passo será a conscientização dos produtores com treinamentos que serão feitos por meio de parceria entre o  IMA e a Emater-MG. Com isso, os produtores de queijo minas artesanal do município já podem se cadastrar ou se registrar no IMA para comercializar o item para todo o estado, aumentando seu mercado e agregando mais valor à iguaria” disse, durante a solenidade de reconhecimento realizada em 26 de dezembro em São João Batista do Glória.

Tradição – O QMA é reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). O decreto 42645 de 2002 identifica como QMA o produto que apresenta consistência firme, cor e sabor próprios, massa uniforme, isenta de corantes e conservantes, com ou sem olhaduras mecânicas, confeccionado a partir do leite integral de vaca fresco e cru, retirado e beneficiado na propriedade de origem.

Fonte: Agrolink