Curiosidades

Helicoverpa: “Chegou o momento do controle biológico no Brasil”

10/12/14 – 12:52
A chegada da Helicoverpa armigera no Brasil criou ao mesmo tempo um impasse e uma oportunidade. “Como é um inseto de controle muito difícil e o uso indiscriminado de agrotóxicos no Brasil gerou uma série de desequilíbrios, o controle biológico passou a ser indispensável para o controle dessa lagarta”, afirma engenheiro agrônomo José Roberto Postali Parra.

Para o especialista, “chegou o momento do controle biológico no Brasil”. “Nossas condições são únicas e o controle biológico deve ser desenvolvido para a nossa realidade”, afirmou o professor titular de Entomologia e Acarologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP).

Parra defendeu o combate a pragas agrícolas por meio de inimigos naturais como, por exemplo, insetos ou até microrganismos como fungos, bactérias, vírus e nematoides em uma apresentação especial intitulada “Controle biológico no Brasil: situação atual e perspectivas”. A palestra ocorreu no Simpósio Nacional de Instrumentação Agropecuária, ocorrido em São Carlos (SP), na unidade de pesquisa em Instrumentação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Na avaliação do engenheiro agrônomo, o uso disseminado e indiscriminado de inseticidas provocou o desenvolvimento de insetos resistentes a esses químicos, além de contaminação ambiental. “Todos esses fatores impulsionaram os trabalhos com controle biológico, que envolve áreas como taxonomia, modelos de simulação, ecologia, bioecologia, seletividade de produtos químicos e várias outras áreas”, ressalta.

Como diferencial, Parra aponta a ampla biodiversidade brasileira, uma riqueza natural que estaria subaproveitada no País: “Apesar de ser imensa, nossa biodiversidade é pouco conhecida, pouco investigada e pouco explorada”. Ele destaca que o Brasil tem dez “inimigos naturais” disponíveis para a utilização no campo, enquanto no mundo inteiro são registrados apenas cerca de 250.

 

Fonte: Agrolink
Autor: Leonardo Gottems