Grãos: Soja registra mais um dia positivo em Chicago. Milho e trigo recuam

O mercado internacional da soja registrou mais um dia positivo nesta quarta-feira. A oleaginosa encerrou o pregão regular de hoje em alta, porém, com ganhos mais modestos. O ajustado cenário de oferta e demanda está de volta ao foco dos investidores.
Os futuros da soja fecharam o dia com ganhos entre 8 e 18,50 pontos positivos. Analistas afirmam que as preocupações com a oferta apertada, principalmente na América do Sul, ainda chamam a atenção dos traders, que agoram preocupam-se mais com a Argentina.
O mercado estaria agora focando o impacto das recentes geadas nas lavouras argentinas de soja, as quais poderiam causar ainda mais prejuízos depois da seca que assolou o país.
Em Chicago, já existem rumores de que não haverá soja suficiente pára atender a demanda até a entrada da safra nortte-americana, como explicou o analista de mercado da Cerealpar, Steve Cachia. Informação que foi confirmada pelo também analista Vlamir Brandalizze, ao dizer que o temor é de que em agosto não haja mais soja para ser ofertada na América do Sul.
Paralelamente, completando o positivo quadro fundamental para a soja, há ainda informações de a China, maior importador mundial da oleaginosa, teria agendado a compra de 500 mil toneladas da commodity norte-americana. No entanto, isso ainda não foi oficialmente confirmado.
Já no mercado do milho, os preços cederam, nesta quarta-feira, a um movimento de realização de lucros. Analistas afirmam que as projeções para uma boa safra norte-americana estão pressionando as cotações em Chicago. Porém, o que limitou as baixas do cereal foi o bom desempenho do mercado da soja.
As cotações do trigo também encerraram a quarta-feira em queda. Assim como o milho, o grão também realizou lucros diante da ausência de novidades sobre os fundamentos. Paralelamente, as condições climáticas favoráveis nos EUA também pesaram sobre o mercado.
Confira como ficaram as cotações no fechamento desta quarta-feira em Chicago.
Fonte: Notícias Agrícolas // Carla Mendes