Governo zera imposto de importação do feijão preto e comum

24/06/13

 

O governo zerou o imposto de importação sobre o feijão preto e o feijão comum, ambos secos e em grãos. A Resolução 47 da Camex (Câmara de Comércio Exterior) foi publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira (24). A medida inclui o feijão na Lista Brasileira de Exceções à TEC (Tarifa Externa Comum), além de ser uma tentativa do governo em aumentar a oferta do grão e amenizar a pressão na inflação.

A alíquota zero sobre as importações do grão terá validade até o dia 30 de novembro de 2013. Nos últimos 12 meses, até o maio, o preço do feijão carioca ao consumidor registrou um crescimento de 44%. Além disso, o produto tem grande peso no cálculo da inflação (0,5%).

Segundo o analista de mercado, Marcelo Lüders, a medida já era esperada pelo setor. “E alta do dólar frente ao real e a cobrança de 10% sobre as importações do produto inviabilizam algo que possa trazer algum benefício para o consumo do grão”, destaca.

Paralelo a esse cenário, a oferta de feijão carioca este ano é apertada, devido à diminuição da área cultivada em várias regiões produtoras do país e ao ataque de pragas, como a mosca branca. Diante dessa situação, os preços do produto permanecem em patamares acima da média histórica. Na última sexta-feira (21), a saca de 60 kg de feijão carioca foi negociada a R$ 230,00 em SP e a R$ 220,00 em MG. No PR, o feijão preto foi comercializado a R$ 160,00 a saca.

Fonte: Notícias Agrícolas //