Girolando: uma raça genuinamente brasileira com vocação para o sucesso

O cruzamento entre raças data dos primórdios da pecuária bovina mundial. A idéia de “misturar” características desejáveis de distintas raças, desde morfológicas até produtivas ou adaptativas, sempre atraíram os criadores que buscavam neste processo, obter animais que mostrassem em um único indivíduo os adjetivos de duas raças; o que graças ao vigor híbrido, muitas vezes é possível.

A busca pela sustentabilidade, adaptabilidade e produção acontece muito antes de muitas destas palavras existirem ou virarem moda e a união de animais com diferentes características permitiu, com o passar do tempo, a formação de diversas raças sintéticas muito virtuosas para a pecuária mundial.

Produto deste vigor híbrido, a raça girolando surgiu do cruzamento das raças holandês e gir, unindo a produção leiteira e mansidão de uma, com a rusticidade e adaptabilidade da outra. O gado holandês é sabidamente uma “máquina” de produzir leite e é considerado imbatível nesta característica, entretanto tem exigências que muitas vezes tornava impeditiva a manutenção destes animais em determinadas regiões do país. A raça gir é uma das grandes produtoras de leite dentre as zebuínas, mas nem de longe se aproxima da produtividade do holandês, entretanto tem uma incrível rusticidade e adaptabilidade aos mais diversos intempéries climáticos, o que permite a sua criação nas mais diversas regiões do mundo.

Desejosos de unir as características destas duas raças, o produtor brasileiro foi impulsionado a fazer este cruzamento, que com o decorrer dos anos e muito trabalho para a estabilização da raça, permitiu a obtenção de um animal rústico e de altíssima produção. Os primeiros cruzamentos entre essas raças datam de 1940 e o resultado é o que temos hoje disponível em diversos selecionadores distribuídos em todo o território nacional. Este é o girolando: uma raça genuinamente brasileira, com vocação para criar pólos leiteiros em todo o Brasil.

Com trabalho iniciado em 1989 entre associações de criadores e o Ministério da Agricultura, onde juntos traçaram normas para a formação do Girolando (5/8 Hol+3/8 Gir-Bi mestiço), também conhecido como Gado Leiteiro Tropical, mas foi somente em 1996 que a raça foi oficializada pelo Ministério, passando a entidade então a se chamar Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, com a sigla “Girolando”. Hoje conta com 26 associações subdelegadas e escritórios convencionados por diferentes unidades da Federação.

FICHA DA RAÇA

A raça é caracterizada por pelos curtos, sedosos e brilhantes, podendo em sua cor variar de preto, passando por diferentes tons de castanho até vermelho com pintas brancas. Sua pele é solta é flexível, possui boa cobertura muscular e baixa deposição de gordura, seus membros são compridos bem afastados e possuem bons aprumos. Possui pescoço forte, alto bem inserido, sua barbela é média e pregueada, a cabeça é média com perfil retilínea e levemente convexa.

Sua capacidade de adaptação e resistência a condições adversas de ambiente deve-se à sua capacidade de controle da temperatura corpórea, conformação muscular e esquelética, aprumos, alta eficiência no aproveitamento de pastagens grosseiras e resistência a endo e ectoparasitos. Nos machos destaca-se o ganho médio de peso diário, que embora abaixo das raças especializadas em corte, está muito acima do ganho esperado para raças leiteiras, o que permite o aproveitamento econômico dos bezerros como produtores de carne. Nas fêmeas a característica que deve ser lembrada é a capacidade de produzir leite à pasto, além de liquidez de mercado, hoje responsável por aproximadamente 80% do leite produzido em nosso país.

Precocidade, fecundidade e longevidade são características claramente evidenciadas nesta raça, características essas herdadas de suas raças de origem, levando a significativos resultados durante toda a sua vida produtiva e um número alto de crias, iniciadas normalmente aos 30 meses, com o primeiro parto. Seu pico de produção leiteira é em torno dos dez anos, produzindo satisfatoriamente até os 15 anos de idade.

A produção média por lactação é de3.600 Kg, duas ordenhas/dia, com lactação média de 280 dias e 4% de gordura. O pico de produção é previsto entre os 30 e 100 dias. A produção acumulada por vida útil da vaca deve ser acima de a20.000 Kgde leite, porém dado à especialização e o rigor da seleção que os criadores vem imprimindo nos últimos 10 anos, hoje se consegue facilmente encontrar animais com produção superior a 8.000 por lactação.

Com período de serviço curto, intervalo entre partos ideal (410 dias) e maior números de partos por vaca, temos nessa raça um nível de eficiência reprodutiva excelente, sendo justificada esta eficiência pela ausência de estresse térmico, pois temos uma raça adaptada. Alguns entusiastas comentam que até mesmo o embrião Girolando é mais resistente, suportando uma variação maior de temperatura, além de período de gestação médio, entre Gir e Holandês, estimado em 285 dias.

 

Referências:

– Bovinos de leite.

Disponível em: <http://www.vivernocampo.com.br/pecuaria/pecuedeleiteracas.htm>

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Gado Girolando.

Disponível em: <http://www.infoescola.com/pecuaria/gado-girolando/>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Generalidades.

Disponível em:

<http://www.girolando.com.br/site/ogirolando/generalidades.php>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– História da Raça Gir.

Disponível em: <http://www.zebuparaomundo.com/zebu/index.php?option=com_content&task=view&id=439&Itemid=46>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– História da Raça Girolando.

Disponível em: <http://www.zebuparaomundo.com/zebu/index.php?option=com_content&task=view&id=896&Itemid=46>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Leitor comenta: O uso da heterose na produção leiteira.

Disponível em: <http://www.milkpoint.com.br/mercado/giro-lacteo/leitor-comenta-o-uso-da-heterose-na-producao-leiteira-77697n.aspx>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Performance.

Disponível em: <http://www.girolando.com.br/site/ogirolando/performance.php>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Raça Girolando.

Disponível em: <http://www.argen.com.br/historiaracas.asp?raca=34>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

– Tudo sobre a raça Girolando na pecuária leiteira.

Disponível em: <http://gadoleiteiro.iepec.com/noticia/tudo-sobre-a-raca-girolando-na-pecuaria-leiteira>.

Acesso em: 30 de jan. de 2012.

 

Por: Alceu Miguel Draszevski. Jr., Graduando de Medicina Veterinária, UFPR e Marcus Luciano G. Rezende, Diretor Técnico (Ourofino).