Milho

Gestão é diferencial para rentabilidade no milho

25/05/2017

Em tempos de safra recorde, “a gestão eficiente da atividade rural determinará as melhores performances em rentabilidade e lucratividade”. A afirmação é do analista de economia do Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do estado do Mato Grosso do Sul), Luiz Eliezer.

De acordo com o especialista, o agricultor só será competitivo se aliar a produtividade a um “olhar abrangente que interprete os cenários econômico, político, técnico e do meio ambiente”. Para o milho 2ª safra 2016/2017, a Aprosoja/MS estima área plantada de 1,8 milhão de hectares e produção de 9,180 milhões de toneladas – um número 45,5% superior ao alcançado na safrinha do ano passado.

Uma visão semelhante tem o gestor do departamento técnico do Sistema Famasul, Justino Mendes: “O gerenciamento precisa estar presente em todas as etapas, do preparo do solo até o acompanhamento do mercado, a fim de entender qual o melhor momento para vender ou não”.

Presidente do Sindicato Rural de Dourados, Lucio Damália, ressalta que os produtores devem estar atentos em um ano de safra recorde. “Quando a oferta supera a demanda o resultado é queda nos preços, fato que estamos acompanhando de 2016 para cá. Por isso temos que reduzir ao máximo os custos produtivos para conseguirmos chegar a melhor margem de lucro deste ciclo”, aponta.

As informações foram apresentadas no fórum Mais Milho, promovido pela Abramilho (Associação Brasileira dos Produtores de Milho), Aprosoja (Associação de Produtores de Soja dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) e Aprosmat (Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso). O encontro tem objetivo de apresentar o mapeamento dos custos de produção, tendências de preço, manejos produtivos e utilização de tecnologias no campo.

Fonte: Agrolink