Pecuária

Gado de Corte

A pastagem é o principal alimento dos bovinos de corte e leite e importante fonte para eqüinos, ovinos e caprinos.

Dessa maneira, o pasto deve ser tratado de forma a não faltar aos animais até mesmo no período seco do ano quando há escassez de forragem. E esse é o grande problema dos produtores, a falta de forragem na época seca do ano que vai do mês de maio podendo chegar até setembro.
Segundo o pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Rodrigo Amorim Barbosa, o problema pode ser controlado e o grande segredo para não deixaar faltar pasto no inverno é realizar um bom manejo nas áreas e tentar equilibrar a quantidade do capim com o número de animais na área. “O que se deve ter cuidado é com o super pastejo da área”, afirma o especialista. Ele também diz que o produtor deve planejar bem a utilização das áreas de pastagem da propriedade prevendo o número de animais nas áreas, categoria animal, o tipo de forragem existente e o sistema de produção adotado.
Nas águas a oferta de pasto é maior, logo, em um sistema de produção normal onde não se faz adubação de manutenção na pastagem, a média de animais na área é de duas a três UA (unidade animal = 450 quilos de peso vivo) por hectare, já na seca esse pasto não suporta uma UA. E o que se deve fazer nesse caso é planejar a área para suportar mais animais na seca.
Em sistemas mais intensivos, por exemplo, onde há planejamento de uso de forragem com adubação na área, o capim pode suportar nas águas até cinco UAs. “É importante o produtor fazer uma análise econômica da área computando todos benefícios, diretos e indiretos”, recomenda Rodrigo. Ele lembra que o pasto deve ser manejado nas águas programando a vedação das áreas para utilização na seca. Ele aconselha, na seca, servir aos animais além do pasto reservado, um suplemento alimentar. O tipo de suplemento vai depender da categoria animal e objetivo do sistema de produção.
A saída para o produtor que não se planejou para enfrentar a seca é arrendar pasto, comprar volumoso (feno, silagem etc.) ou vender animais.

Pasto por longo período
Um manejo de pasto bem elaborado garante oferta de pasto regular, vida longa do capim além de evitar a degradação da área. Tudo começa com o estudo da área onde será formado o pasto, escolha da espécie para o tipo de solo, se a planta é resistente a pragas e doenças, adubação do solo de acordo com as necessidades e lotação animal na área. Se todos esses itens não forem analisados e planejados o produtor vai passar dificuldade no período crítico, afirma o pesquisador.
O manejo das pastagens é fundamental para aproveitar bem as áreas e reduzir custos de produção. Uma das recomendações é controlar a entrada de animais nos piquetes evitando pisoteio e pastejo excessivo na área. Outro trato que deve ser observado nas pastagens é a reposição de nutrientes no solo. A adubação no pasto deve ser feita de acordo com a necessidade da área, normalmente, previstas na análise do solo. A adubação de reposição é importante, pois ela é quem permite o prolongamento do ciclo das pastagens e a sua longevidade.
Redação
Eliana Cezar Silveira (DRT/15.410)
Embrapa Gado de Corte

Fonte: http://www.centralagro.com.br/modules/smartsection/item.php?itemid=1