Pecuária

Futuro do leite em debate na Megaleite

04/07/2017

O evento “Pensando o futuro da produção de leite” levou à discussão sobre as perspectivas para a cadeia produtiva para a Megaleite. Promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e pela Embrapa Gado de Leite, o evento reuniu cerca de 600 pessoas no auditório do Expominas. Pensando o futuro contou com cinco palestras e um debate com lideranças do setor, ambos disponíveis no YouTube, por meio do canal da Embrapa no YouTube.

O debate teve como convidados o presidente da Faemg, Roberto Simões, que apresentou uma visão sobre o novo sindicalismo no setor; o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins, que discutiu pesquisa e inovação na pecuária de leite; o presidente da Comissão Nacional de Bovinocultura de Leite da CNA, Rodrigo Alvim, que falou sobre como se preparar para os desafios do futuro; o diretor de captação e logística da Embaré, José Antônio Bernardes, com o tema “Indústria e Produtor: como estabelecer uma relação de sucesso; além do produtor de leite, Ricardo Ferreira Godinho, que abordou as mudanças que estão ocorrendo no setor produtivo.

Antes do debate, ocorreram palestras, com dez minutos cada uma, abordando os temas:

– Nanotecnologia: solução para problemas antes insolúveis – O pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Humberto Brandão, falou sobre os estudos com nanoestruturas no combate a doenças como a mastite bovina;

 – Pecuária de precisão: reduzindo risco nas tomadas de decisões – a automação dos sistemas de produção foi um dos assuntos tratados pelo pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Bruno de Carvalho;

 – Resíduo na propriedade: de problema a solução – apresentado pelo pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Marcelo Otenio, o aproveitamento dos resíduos da propriedade nas formas de energia (biogás) e fertilizantes (biofertilizantes) foi o tema central.

– A genômica como solução no melhoramento genético animal – O pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Marcos Vinícius Gualberto Silva, fez uma breve apresentação dos estudos em genômica em raças leiteiras.

– Sucessão no campo: Um desafio para a agropecuária contemporânea – o assessor de planejamento do Senar Minas, Celso Furtado Jr., discorreu sobre um dos grandes problemas da atividade, que podem comprometer a continuidade do empreendimento no campo: a sucessão familiar.

– Sistemas de produção – Representando o setor produtivo nas palestras, o produtor de Leite, Ricardo Ferreira Godinho, falou sobre a importância do trabalho para o sucesso do sistema de produção adotado e complementou destacando a introdução do Compost Barn na pecuária de leite brasileira.

Genômica – No dia anterior ao evento, o pesquisador Marcos Vinícius Gualberto Silva apresentou na Megaleite o Projeto Genoma Girolando.  O Projeto é uma parceria da Embrapa com a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e as empresas CRV Lagoa e Zoetis. Como resultado, em breve estará no mercado uma tecnologia que vai tornar possível a seleção genômica da raça Girolando.

Com essa tecnologia, os testes de progênie dos programas de melhoramento em gado leiteiro poderão usar o valor genômico de touros e vacas para as raças Girolando e Gir. Com o perfil genético do animal, o produtor tomará decisões sobre as estratégias de cruzamento e decidirá se utiliza ou não um touro jovem em programas de teste de progênie, por exemplo.

 A seleção genômica irá racionalizar o processo de melhoramento genético, tornando-o menos arriscado ao produtor. Supondo que o criador tenha vários tourinhos com o mesmo grau de parentesco (irmãos completos), caso ele possua recursos para inscrever apenas um indivíduo para o teste de progênie, a comparação do genótipo de cada um deles definirá o mais adequado para o programa.

Sumários – Durante a apresentação, que reuniu cerca de 100 pessoas, foi divulgado o Sumário de Touros da Raça Girolando. Em sua décima segunda edição, o sumário traz 12 novos reprodutores. Também foi apresentado a quinta edição do Top 1.000 Girolando, que apresenta o valor genético de mil fêmeas, oferecendo aos criadores a opção de escolher as melhores mães para os futuros touros e vacas, acelerando o processo de melhoramento genético. Só a raça Girolando no Brasil possui esse tipo de serviço.

Outro documento divulgado foi o Sumário Genômico de Fêmeas Jovens. Este documento também é uma novidade da Girolando, sendo o único na pecuária brasileira. Por meio da genômica, o sumário identifica fêmeas de potencial produção que ainda não têm histórico de lactação. Isso possibilita ao produtor antecipar o futuro, resultando em escolhas corretas.

Fonte: Embrapa