Notícias

Fórum Nacional de Agronegócios conta com 780 participantes nas duas primeiras etapas

17/04/2015

As duas primeiras etapas do Fórum Nacional de Agronegócios, promovidas na quarta e quinta-feira (dias 15 e 16) em Maringá e Londrina, foram consideradas um grande sucesso. A primeira contou com a participação de 460 produtores e lideranças do setor e, a segunda, 320. Em ambas, o ex-presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Vítor Hugo Burko, abordou o tema “O produtor e as exigências ambientais”. A iniciativa foi da Rádio CBN Maringá e Cocamar, com patrocínio da Sicredi União e apoio do Sistema Faep, Sociedade Rural de Maringá e Sociedade Rural do Paraná.

Na noite de ontem, em Londrina, o presidente-executivo da Cocamar, José Fernandes Jardim Júnior, disse, ao participar da abertura do evento, que os produtores precisam providenciar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) o quanto antes, para regularizarem sua situação ambiental. “Não temos tempo a perder, isto representa a tranquilidade que precisamos para trabalhar”, afirmou. O fórum, uma das atrações da ExpoLondrina 2015, aconteceu no Recinto de Leilões Horácio Sabino Coimbra, no Parque Internacional de Exposições Governador Ney Braga.

Oriundos de dezenas de municípios polarizados por Londrina, os produtores fizeram, após a palestra de Burko, muitas perguntas sobre aspectos relacionados ao cadastramento. “Não há motivos para esperar, quem ainda acredita que essa lei não vai pegar, vai se dar mal”, afirmou o palestrante. Segundo ele, “a inércia é inimiga dos que estão pagando para ver”. O prazo para o CAR termina no dia 5 de maio, há sinais de que o governo pode prorrogar por mais um ano, mas isto, conforme Burko, não ocorrerá de forma igualitária para todos os produtores.

O ex-secretário da Agricultura do Paraná, prof. Eugênio Stefanello, estava entre os que participaram do fórum em Londrina. Na opinião dele, os produtores não podem ficar esperando. “Tudo está definido, a lei está correndo e não é prudente deixar para depois, mesmo porque não haverá condições de atender a todos, pois mesmo com a prorrogação, o prazo será curto”, finalizou.

Fonte: Cocamar