Curiosidades

Focos do Matopiba serão ampliação da classe média rural e infraestrutura, diz ministra

14/05/15
Durante o lançamento do Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba, em Palmas (TO), nesta quarta-feira (13.05), a ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou que as ações do governo na região terão foco na ampliação da classe média rural, na inovação e tecnologia e nos investimentos em infraestrutura.

Palmas é uma das quatro cidades que a ministra visita para apresentar o potencial do Matopiba a produtores, associações rurais, políticos e pesquisadores. Nesta quinta-feira (14.05), ela vai a Balsas (MA) e Teresina (PI). Na sexta-feira (15.05), Kátia Abreu estará em Luís Eduardo Magalhães (BA).

No último dia 6, a presidente Dilma Rousseff assinou o decreto 8.447/15, que formaliza a abrangência territorial da região. “Três pontos serão nosso foco, nosso objetivo principal. O primeiro é a ampliação da classe média, para melhorar a renda e garantir dignidade aos agricultores. O segundo é inovação e tecnologia, porque produtor não vive sem pesquisa e qualificação. Em terceiro, estão os investimentos em infraestrutura”, disse Kátia Abreu, durante entrevista a jornalistas.

A ministra afirmou que o plano de desenvolvimento vai aglutinar políticas públicas que já existem, mas que ainda não estão ao alcance dos produtores de baixa renda. No Tocantins, o Mapa pretende levar assistência técnica e extensão rural a mais 8 mil agricultores nos próximos dois anos.

“O que mais choca é que a gente trabalha, tenta desenvolver a região, mas a pobreza ainda persiste no campo. Evitar concentração de renda é quase impossível, mas criar uma classe média sólida, digna, com renda razoável para viver, é possível sim”, destacou. “Quem permanece no campo, mesmo na pobreza, é porque tem vocação, tem ideal e tem terra. O que não existe é o direito à tecnologia, o direito a crédito na hora certa e de comprar bem e vender bem”, completou.

Infraestrutura

Kátia Abreu ainda destacou os investimentos em infraestrutura no Tocantins, cuja prioridade é a BR-235. “É uma rodovia da maior importância porque os produtores do Piauí e do Maranhão poderão trazer grãos até Pedro Afonso e pegar a ferrovia ou a hidrovia.”

O escoamento de grãos pela BR-235 ainda poderá viabilizar a instalação de uma esmagadora de soja em Pedro Afonso. “É um sonho antigo”, disse a ministra.

Outra prioridade é a BR-242, que vai permitir o escoamento de calcário para Mato Grosso.  O estado, por sua vez, poderá utilizar a rodovia para acessar a Ferrovia Norte-Sul e seguir para os portos de Itaqui ou de Belém.
“Tocantins é o estado da logística. É o estado que produz, que tem muito volume de produção e também é um lugar de passagem, o que significa industrialização. Temos que aproveitar essas oportunidades”, destacou Kátia Abreu.