variedades

Orquideas – Tolumnia Genting Leopard

Tolumnia Genting Leopard

As orquídeas do gênero Tolumnia pertencem ao grupo dos Oncidium e são plantas pequenas com lindas e cintilantes flores multicoloridas. Ao todo são cerca de 18 espécies distribuídas pelo Caribe, com uma espécie ocorrendo no extremo sul da Flórida. Hoje em dia existem incontáveis híbridos dentro desse gênero e a cada ano novos mais surgem.

O fascínio que elas exercem sobre os orquidófilos está no fato de serem orquídeas miniatura, com folhas de 8 a 10 cm de comprimento apenas, mas com grandes inflorescências em relação ao tamanho da planta.

Um cacho chega a ter de 20 a 30 cm de comprimento e pode ostentar flores com 2 a 4 cm de diâmetro. As Tolumnia também são chamadas de Oncidium Equitante, pois as suas folhas são imbricadas, isto é, estão trepadas umas sobre as outras, formando uma espécie de leque, onde as folhas de fora estão montadas sobre as de dentro, como telhas em um telhado. Equitante quer dizer “montado à cavalo”, numa alusão à posição das folhas.

Na natureza as Tolumnia vivem em galhos finos de arbustos ralos, com algumas raízes soltas balançando ao vento, à maneira das nossas conhecidas Ionopsis e Comparettia.
Diferente dessas duas, no entanto, as Tolumnia crescem bem expostas à luz do sol, nas pontas dos galhos. Em algumas espécies, as folhas chegam a ficar bronzeadas.

A umidade que necessitam elas recebem do sereno noturno ou da evaporação da água no solo arenoso. Com pseudobulbos tão pequenos que chegam a ser inexistentes, o armazenamento da água dentro das folhas, que em uma planta saudável, ficam gordinhas, à maneira das brassavolas, como se fossem uma planta suculenta.
As folhas possuem um leve serrilhado na borda, sensível ao tato. Em cultivo, as Tolumnia devem ser plantadas ou em pedaços de galhos finos de cafeeiro, por exemplo, ou em pequenos vasos com substrato de drenagem muito rápida.

O pior inimigo das Tolumnia é o excesso de água, sendo em caso de dúvida melhor borrifar do que regar. O local ideal para mantê-las no orquidário é junto das Cattleya walqueriana e Cattleya nobiliar, sempre em situação de muita luz, substrato seco e uma rega leve ou borrifo diário simulando o sereno.

Em caso delas estarem em vasos, as regas devem ser ainda mais reduzidas, mas constantes. Na natureza as raízes ao se fixarem nas árvores, correm ao longo dos galhos por grandes distâncias.

Fonte: http://www.plantasonya.com.br/category/orquideas-e-bromelias/page/2