variedades

Orquídeas por região – São Paulo

Scuticaria_itirapinensis

Scuticaria itirapinensis. Espécie raríssima, da qual não há notícias comprovadas de espécimes em cultivo ou encontrados na natureza nos últimos trinta anos

Os estados da região sudeste do Brasil abrigam em seus territórios belas plantas. Para se ter noção da importância dessa região, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, segundo pesquisas de orquidófilos, possuem cerca de um terço das espécies que ocorrem em todo o Brasil.

São Paulo
A partir de São Paulo, seguindo do Sul em direção ao Norte do País, o clima já sofre uma mudança significativa. Do subtropical sulino, passa a predominar o tropical. Com isso, o estado apresenta também vegetação diferenciada e adaptada às condições encontradas, inclusive, as orquidáceas.

A Mata Atlântica é o local mais rico em diversidade de orquídeas em São Paulo. Mas no passado havia muitos outros lugares que as habitavam. Na beira do rio Tietê, encontravam-se Catleya loddigesii vegetando em árvores nas suas margens. Podem acreditar!

Elas sobrevivem, crescem e povoam essas localidades por predo minarem condições adequadas, com boa luminosidade e umidade. A Serra da Mantiqueira e o Vale do Paraíba são exemplos de áreas de Mata Atlântica com uma grande quantidade e variedade de orquidáceas.

Na verdade, segundo estudiosos, esse bioma é onde está a maior variedade dessas plantas no País.

As espécies epífitas são predominantes. É possível encontrar uma grande variedade delas na natureza. C. leopoldii, C. intermédia, C. loddigesii, C. harrisoniana, C. walkeriana, Laelia purpurata e L lundii são alguns exemplos das quais vegetam nas matas de São Paulo.

No entanto, a diversidade já foi muito maior, já que o estado paulista sofreu e continua sofrendo com a destruição de susa áreas verdes. Atualmente, muitas orquidáceas, que tinham como habitat diferentes localidades do estado, estão extintas ou praticamente extintas. Este é o caso da C velutina e da L. virens.

Um exemplo de planta endêmica do estado de São Paulo, que não é mais encontrada no País, é a espécie Scuticaria itirapinensis. No caso da C. velutina e da L. virens foram realizadas semeaduras, Por isso, não ocorrem mais riscos.

Fonte: http://www.plantasonya.com.br/category/orquideas-e-bromelias/page/2