variedades

Orquídeas por região – Espírito Santo

Brassavola fragrans

O território capixaba é uma região constituída de poucas terras baixas e de planaltos, sendo que estes são quase inexpressivos, com muitas serras acidentadas que abrangem 70% de todo o estado. Tem como ponto culminante o Pico da Bandeira, na Serra do Caparaó, já na divisa com Minas Gerais. São nessas zonas, entre 500 m e 800 m e de 800 m a 1.000 m, e em áreas acidentadas e movimentadas, chegando a locais de 1.100 m e 1.800 m, que se apresentam importantes representações de fauna e flora com maior frequência de endemismos, expressados nas regiões de cume.

Quanto às orquídeas, especificamente, o território do Espírito Santo está ligado a essas plantas desde as primeiras referências escritas a respeito das espécies brasileiras. No estado pode ser encontrada uma grande diversidade de espécies ornamentais, destacando-se representantes do gênero Catleya, Laelia, Oncidium, Miltonia, Sophronits, Encyclia, Epidendrum, Brassavola, Laeliocatleya, Zygopetalum, Yanipsis, Stanhopea e Catassetum.
As microorquídeas e as plantas de pequeno porte também apresentam muita variedade, inclusive, aparecendo em maior número de espécies. Pleurothsllis, Octomeriq, Stelis e Barbosella, são apenas alguns dos inúmeros gêneros encontrados no estado capixaba.

Para se ter noção do volume de orquidáceas, das quais quase 2,5 mil orquídeas conhecidas no Brasil (números da década de 80, época da realização de estudos), mais de 600 espécies foram assinaladas no Espírito Santo.

No entanto, a destruição de seus habitats tem ameaçado muitas delas, que se encontram em vias de extinção nas matas. Aspásia binata, Brassavola fragrans, Cattleya schilleriana, Epidendrum ciliare, Laelia pumilla, Miltonia clowessi e Oncidium pumilum são alguns exemplos.

A grande derrubada das florestas, sem dúvida, constituiu a maior causa para o extermínio de muitas espécies da fauna e flora silvestres. Lamento que a falta de consciência quanto à preservação da natureza pode permitir a destruição das espécies remanescentes.

Fonte: http://www.plantasonya.com.br/category/orquideas-e-bromelias